Jornal do Commercio
Tricolor

Santa Cruz: Givanildo lamenta pouco tempo de preparação para clássico

Santa Cruz chega no início da noite desta quarta-feira de Lucas do Rio Verde-MT

Publicado em 12/07/2017, às 07h03

No final da temporada passada, o técnico Givanildo Oliveira estava no comando do Náutico. / Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
No final da temporada passada, o técnico Givanildo Oliveira estava no comando do Náutico.
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Davi Saboya
Twitter: @davisaboya

O Santa Cruz não vai ter muito tempo para treinar antes do clássico contra o Náutico, sábado (15), às 16h30, na Arena de Pernambuco. Após empatar por 2x2 contra o Luverdense, fora de casa, o Tricolor desembarca no Recife, nesta quarta-feira (14) à noite e a representação acontece amanhã. Somente no dia seguinte que o técnico Givanildo Oliveira vai poder fazer uma rápida movimentação, um dia antes de enfrentar o rival alvirrubro. 

"Esses dias têm que ser mais de descanso. Não tem como treinar. Sem nenhum imprevisto na viagem, vamos chegar à noite no Recife. Perde a quarta, volta quinta e sexta é a véspera do jogo. É complicado ter pouco tempo para treinar na semana de um jogo para o outro", afirmou o treinador coral. 



MARATONA

Em menos de uma semana, o Santa Cruz entrará em campo três vezes para enfrentar Náutico, Vila Nova e Boa Esporte, respectivamente. Por outro lado, todos serão no Recife, já que o Clássico das Emoções é visitante, mas será disputado na Arena de Pernambuco. De acordo com Givanildo, a única solução é encarar a maratona de jogos e evitar o risco de lesões dos atletas. 

"Temos que ir levando. Serão três jogos seguidos na nossa cidade. É ficar de olho no desgaste dos atletas para não comprometer na hora do jogo", finalizou o comandante coral. 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM