Jornal do Commercio
Tricolor

Cobrança de Tininho faz elenco do Santa Cruz refletir sobre desempenho

Vice-presidente coral chegou a afirmar que a 'hora do recreio' tinha acabado para o grupo

Publicado em 13/09/2017, às 11h05

Julio Cesar também destacou cobranças de Martelotte para o grupo se doar mais em campo / JC Imagem
Julio Cesar também destacou cobranças de Martelotte para o grupo se doar mais em campo
JC Imagem
Luana Ponsoni
esportes@jc.com.br

As cobranças feitas pelo vice-presidente coral, Constantino Júnior, parecem ter surtido efeito sobre o elenco do Santa Cruz. A equipe concordou que precisa ser mais exigente com o futebol apresentado ultimamente para reverter a situação em que o tricolor se encontra. Dentro do Z-4, ocupando a 18ª colocação da Série B do Campeonato Brasileiro, o time viu a luta pelo acesso à elite do futebol nacional em 2018 se transformar em angústia para tirar a Cobra Coral da zona de rebaixamento.

“Estamos num momento em que todos precisam se cobrar, se autoavaliar. O Marcelo chegou e está cobrando bastante no dia a dia e a gente sabe que tem que melhorar. Temos um elenco muito bom, que não era para brigar nessa situação, assim como outras equipes na Série B que não deveriam estar na situação em que se encontram”, comentou o goleiro Julio Cesar.



Para o arqueiro coral, outros aspectos precisam ser aliados à autoavaliação que cada atleta do grupo deve estar sempre fazendo de si. Dedicação aos treinos é apenas um deles.

MELHORA

“É no dia a dia, em conversa, incentivo, um ajudando ao outro no treino. Só acredito em melhora com trabalho , concentração e foco. Não adianta achar que com fórmula mágica vai vencer. Se não tiver trabalho, nem no dia a dia todos fazendo isso coletivamente, não sai”, pontuou.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM