Jornal do Commercio
BADALADOS

André e Diego Souza, os cifrões que dão resultado no Sport

André e Diego, os mais badalados do elenco, vêm sendo efetivos. Cada um marcou 15 vezes, quase 40% dos gols do Leão em 2017

Publicado em 16/07/2017, às 08h04

A parceria de André e Diego Souza vem rendendo bons frutos ao Sport / Alexandre Gondim/JC Imagem
A parceria de André e Diego Souza vem rendendo bons frutos ao Sport
Alexandre Gondim/JC Imagem
FELIPE HOLANDA
Twitter: @f_holanda1

O bom momento do Sport passa diretamente pelos pés de seus jogadores mais badalados: Diego Souza e André. Ambos foram do céu ao inferno na Praça da Bandeira e responderam às críticas dentro das quatro linhas. Mais precisamente, com gols. Juntos, os dois têm 30 bolas nas redes adversárias – 15 de cada – e aparecem como os maiores artilheiros do time na temporada. A marca representa 38,7% dos 79 tentos que o Leão marcou em 2017. A atuação na vitória por 3x0 em cima da Chapecoense, última quinta-feira, deixou evidente a importância deles para o rubro-negro.

Diego Souza, grande destaque técnico e maior salário do elenco, viveu uma fase bem conturbada nas últimas semanas. Não se apresentou ao grupo para o duelo contra o Coritiba alegando problemas pessoais depois de ter recebido proposta do Palmeiras, recebendo críticas ferrenhas da torcida do Sport. Depois de idas e vindas, enfim, definiu sua permanência na Ilha do Retiro. Contra a Chape, fez seu 7º jogo pelo Brasileirão (número que impossibilita uma transferência para outro clube da mesma competição) e voltou em grande estilo. Marcou um dos gols, saindo do banco de reservas.

Outro que vive grande momento com a camisa rubro-negra é o atacante André. Maior contratação do Sport em todos os tempos (R$ 5,2 milhões em por 70% dos direitos econômicos junto ao Sporting-POR), também viveu maus bocados na atual temporada. O camisa 90 passou nove jogos sem marcar e reencontrou o seu melhor futebol desde que encerrou o jejum de gols, na vitória por 2x0 em cima do Santa Cruz, pelas semifinais da Copa do Nordeste. De lá pra cá, engrenou de vez, com quatro gols nos três últimos jogos, sendo dois deles contra a Chapecoense.



A fase é tão boa que os dois, recentemente, conquistaram seu primeiro título pelo Sport. Diego Souza chegou em 2014 e teve rápida aparição no Fluminense no ano seguinte, enquanto André passou pela Ilha do Retiro também em 2015 e retornou na atual temporada, depois de acumular passagens por Corinthians e Sporting. Os dois, com quatro gols cada, foram peças fundamentais do rubro-negro na conquista do Campeonato Pernambucano. O Leão venceu o Salgueiro por 1x0 na grande final, em jogo polêmico, no Cornélio de Barros.

HISTÓRICOS

Em alta, Diego Souza e André estão perto de marcas históricas pelo Sport em Campeonatos Brasileiros. O camisa 87 tem 32 gols e está a um de igualar Leonardo, como o maior artilheiro do Leão pela Série A. Já o camisa 90 tem a quarta melhor marca, com 19, somando suas duas passagens pela Ilha do Retiro.

Contra o Botafogo, amanhã, pela 14ª rodada do Brasileirão, a dupla tem a chance de seguir fazendo história na Praça da Bandeira e deixar o aproveitamento do ataque do Sport ainda mais positivo na temporada. Tem 79 gols em 51 jogos.


Recomendados para você


Comentários

Por Kallazans,16/07/2017

É muito bom torcer pelo SPORT RECIFE o CAMPEÃO DO BRASIL !!! Ter dinheiro pra comprar jogadores caros, e ficar em evidencia no cenário NACIONAL. O que seria da imprensa PERNAMBUCANA sem o SPORT pra falar !!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM