Jornal do Commercio
tropa

'Pelotão ninja' da PM será testado em protesto de São Paulo

O capitão Emerson Massera, porta voz da Polícia Militar, explicou que, a ideia dessa tropa é agir pontualmente

Publicado em 21/02/2014, às 16h34

Da AE

Um "pelotão ninja" da Polícia Militar, especializado em artes marciais e sem armas de fogo, atuará pela primeira vez na manifestação marcada este sábado no centro de São Paulo. O ato entitulado "Não vai ter Copa" está marcado para as 17h, na República, e às 12h55 tinha mais de 13 mil pessoas confirmadas na página do evento no Facebook.

O capitão Emerson Massera, porta voz da Polícia Militar, explicou que, a ideia dessa tropa é agir pontualmente. "Esse pelotão agira de maneira pontual e vai utilizar recursos menos agressivos". De acordo com Massera, a tropa estará uniformizada e armada com uma tonfa, espécie de cassetete com um suporte para segurar (em formato de L).

BOMBAS - Na manhã desta sexta (21), o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) fez uma demonstração para a imprensa do potencial do artefato explosivo encontrado com o estoquista Fabrício chaves, de 22 anos, na manifestação do dia 25 de janeiro. De acordo com a polícia, apenas parte da substância encontrada dentro de latas de alumínio na mochila do manifestante que foi baleado por PMs foram usadas na demonstração. Ao acender o pavio a substância pegou fogo de forma localizada soltando um pouco de fumaça, depois de alguns segundos a quantidade de fumaça aumentou. Não houve explosões.

"A queima que foi feita aqui foi uma quantidade bem menor do que a que foi encontrada. Era uma lata de cerveja cheia, disse o capitão do Gate Ricardo Folkis. Ele explica que o material não é explosivo, mas sim incendiário. "Dependendo do local que pegasse e o tempo de contato com a chama poderia até causar a morte de uma pessoa". Segundo a PM, a composição é feita de açúcares e outras substâncias que, por questões de segurança não foram reveladas.

O Gate também fez a demonstração da explosão do rojão de vara que atingiu o cinegrafista Santiago Andrade no Rio de Janeiro. Poucos segundos após ser acionado o rojão chegou em grande velocidade a uma distancia de 50 metros antes de explodir.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Expedição Antártida Expedição Antártida
A editora Mona Lisa Dourado e o repórter fotográfico Igo Bione acompanham parte das atividades da 32ª Operação Antártica, a convite da Marinha do Brasil
100 anos da Medicina 100 anos da Medicina
Especial 100 anos da Medicina aborda o surgimento das escolas médicas em Pernambuco
Novos mercados Novos mercados
Novas exigências do mercado de trabalho sob o impacto das tecnologias da informação

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2016 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM