Jornal do Commercio
Distrito Federal

Área nobre de Brasília enfrenta racionamento de água

Racionamento no Distrito Federal e em Brasília atinge, até o momento, 1,8 milhão de pessoas

Publicado em 22/02/2017, às 22h51

Reservatório de Santa Maria está com 41% de sua capacidade (foto de novembro de 2016) / Tony Winston/GDF/Divulgação
Reservatório de Santa Maria está com 41% de sua capacidade (foto de novembro de 2016)
Tony Winston/GDF/Divulgação
Estadão Conteúdo

Depois das cidades-satélite, é a vez do Plano Piloto, área nobre de Brasília, enfrentar o racionamento de água. A decisão foi anunciada esta semana pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e começa a valer a partir da próxima segunda. O Palácio do Alvorada e prédios da Esplanada, no entanto, vão escapar da medida.

O racionamento de água teve início na segunda quinzena de janeiro e atinge, até o momento 1,8 milhão de pessoas. Com a extensão da medida, o racionamento deve afetar mais 557 mil pessoas. A interrupção do fornecimento vai ocorrer em um dia da semana. Nos dois dias que se seguem a essa medida, o fornecimento retorna gradativamente ao normal. 

De acordo com a Caesb, com as primeiras semanas de rodízio, houve uma redução da captação de água dos reservatórios em torno de 14%. O volume de águas está bem abaixo do que seria considerado ideal. Na barragem de Alto Descoberto, a capacidade é de 37%. Na de Santa Maria, que abastece as áreas que serão agora atingidas pela extensão do rodízio, 45% . Não há prazo para que o racionamento seja suspenso.

De acordo com a Caesb, a bacia do Alto Descoberto tem registrado, historicamente, um volume de chuvas de 669 milímetros no período que vai de setembro a dezembro. Em 2016, o volume de chuva medido na região, de setembro até dezembro, ficou em 516 milímetros, um pouco acima do volume de 2015, que foi de 450 milímetros.

De acordo com a Caesb, a Esplanada dos Ministérios foi poupada do racionamento para evitar prejuízos nas atividades públicas. No Plano Piloto, o consumo médio diário de água é de 345 litros por habitante. O maior consumo é registrado no Lago Sul, com 417 litros por habitante por dia.

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM