Jornal do Commercio
TRÁFICO PRIVILEGIADO

Polícia acha plantação de maconha dentro da Universidade de Brasília

Nos celulares dos suspeitos, de 21, 22 e 29 anos, foram encontradas fotos do crescimento das mudas

Publicado em 20/04/2017, às 14h30

A Cord já tinha aberto um inquérito para apurar o cultivo de maconha na UNB / Foto: Divulgação/PCDF
A Cord já tinha aberto um inquérito para apurar o cultivo de maconha na UNB
Foto: Divulgação/PCDF
JC Online

Mudas de maconha foram encontradas em uma área da Universidade de Brasília (UNB) na manhã desta quinta-feira (20). De acordo com policiais civis da Coordenação de Repressão a Entorpecentes (Cord) a plantação era cultivada por dois estudantes de engenharia da instituição e por outro homem já formado em administração.

Nos celulares dos suspeitos, de 21, 22 e 29 anos, foram encontradas fotos do crescimento das mudas, que conforme a polícia, seriam utilizadas para consumo próprio.



O nome dos envolvidos não foram divulgados, e no local do cultivo ainda foram encontradas garrafas PET, adubos e venenos contra formigas.

Penas

A Cord já tinha aberto um inquérito para apurar o cultivo de maconha na UNB. O caso foi registrado como tráfico privilegiado e cultivo para consumo próprio, cujas penas podem variar de 7 meses a 1 ano e 8 meses de prisão. O tempo de detenção pode ser aumentado pelo agravante da plantação nas dependências de uma universidade.

 

 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM