Jornal do Commercio
Festa

Magia e encantamento na Amazônia marcam primeira noite em Parintins

O boi Garantido abriu a primeira noite da 52ª edição do Festival Folclórico de Parintins

Publicado em 01/07/2017, às 13h22

O boi vermelho apareceu agitando a galera, como é chamada a torcida. / Foto: Agência Brasil
O boi vermelho apareceu agitando a galera, como é chamada a torcida.
Foto: Agência Brasil
Agência Brasil

Com o bumbódromo lotado, o boi Garantido abriu a primeira noite da 52ª edição do Festival Folclórico de Parintins. A apresentação começou pontualmente às 21h30 de sexta-feira (30) e apresentou o tema Magia e Fascínio no Coração da Amazônia.

De um grande coração que se abriu no meio da arena, o boi vermelho apareceu agitando a galera, como é chamada a torcida. Nesse primeiro dia, o Garantido quis mostrar a criação da Amazônia e o encanto que isso gera nas pessoas. Uma grande floresta encantada foi retratada em uma alegoria que chamou a atenção pela mobilidade e expressões faciais.

Vários momentos da festa emocionaram o público. Para a aposentada Néia Macedo, moradora de Brasília e apaixonada pelo boi vermelho, o que mais toca é a alegria da torcida. “Eu gosto muito do ritual indígena, mas de verdade, eu acho a galera tudo de lindo. Eles enfrentam fila desde cinco da manhã, tem força para gritar, para pular. Eu acho muito lindo”, disse a torcedora.

Já a manauara Maira Dias conta que o momento preferido do show foi a encenação da lenda que deu origem ao festival. “É o auto do boi porque conta a história do boi e sempre emociona a gente”, explicou.

O primeiro dia do Festival de Parintins contou com a presença do ministro do Turismo, Marx Beltrão, que conversou com a imprensa no intervalo entre as apresentações. Ele ressaltou a grandeza da festa e informou que a cidade amazonense será promovida no restante do país como destino cultural e turístico.



“Nós vamos levar a imagem de Parintins e divulgar todo esse festival pelo Brasil inteiro para que todas as regiões do país, cada estado, conheça cada vez mais esse festival e cada ano possa trazer mais turistas para cá. Assim como vamos levar também todas as imagens daqui, desse belíssimo festival que é impressionante para todos os países que nós fazemos promoção através da Embratur para que todos os anos turistas internacionais também venham conhecer a cidade de Parintins”, destacou o ministro.

O boi Caprichoso entrou na Arena quase uma hora da madrugada com o tema a Poética do Imaginário Caboclo. Com uma alegoria gigantesca, o boi azul apresentou as influências da cultura caboclae o encontro de diversos povos. O “Cine Teatro Brasil de Parintins” foi representando na Arena pelo artista Glaucivan Silva e homenageou o cineasta Silvino Santos.

O Caprichoso também chamou a atenção do público com números de ilusionismo, resultado de uma parceria com um dos maiores ilusionistas do país Issao Imamura. “A gente quer mostrar que o folclore, quando contado em uma história, é uma história mágica. Então o ilusionismo tem tudo a ver para ilustrar essa magia que a gente tem em relação ao folclore brasileiro”, explicou Imamura.

A novidade agradou Mateus Sabá, que é torcedor do Caprichoso desde criança. Ele lembra, entretanto, que a tradição não deve ser esquecida. “Com toda essa tecnologia a arte precisa acompanhar tudo isso. Uma manifestação artística que é tão tradicional colocar essas inovações no espetáculo é muito legal porque acompanha as tendências. É importante ter cuidado de nunca perder a tradição para que a gente reconheça o espetáculo e a história”, ressaltou.

A primeira noite do festival folclórico de parintins 2017 encerrou depois das três horas da madrugada. A festa continua hoje (1º), a partir das 20h, e termina no domingo (2).


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM