Jornal do Commercio
RIO DE JANEIRO

Policial militar morre em ataque de criminosos à UPP da Mangueira

Ele chegou a ser socorrido e levado para o hospital, mas não resistiu ao ferimento

Publicado em 17/07/2017, às 14h16

Outro policial, que não teve o nome divulgado, foi atingido na perna e passa por exames / Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Outro policial, que não teve o nome divulgado, foi atingido na perna e passa por exames
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
Agência Brasil

Um policial militar morreu nesta segunda-feira (17), por volta das 8h, quando criminosos armados atacaram a base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Morro do Telégrafo, que compõe o complexo da Mangueira, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. De acordo com a assessoria de imprensa da UPP, o cabo Bruno dos Santos Leonardo, de 29 anos, foi atingido na cabeça.

Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Quinta D'Or, que fica próximo à Mangueira, mas não resistiu ao ferimento. Azevedo estava na Polícia Militar há seis anos, era casado e tinha uma filha e um enteado.



Outro policial, que não teve o nome divulgado, foi atingido na perna e passa por exames no Quinta D'Or. Depois do ataque, o policiamento foi reforçado na comunidade. Policiais do Comando de Operações Especiais, de batalhões da região e de outras UPPs fazem uma ação na Mangueira.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM