Jornal do Commercio
JUSTIÇA

Desembargadora que teve filho solto no Mato Grosso do Sul irá responder a reclamação disciplinar

Breno Fernando Solon Borges havia sido preso com 129 kg de maconha e 199 munições

Publicado em 04/08/2017, às 13h57

Desembargadora terá cinco dias para apresentar defesa / Foto: Reprodução/TRE-MS
Desembargadora terá cinco dias para apresentar defesa
Foto: Reprodução/TRE-MS
Lucas Moraes

O Corregedor Nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, determinou a instauração de reclamação disciplinar contra os desembargadores do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJMS) José Ale Ahmad Netto, Rui Celso Barbosa Florence e Tânia Garcia de Freitas Borges, essa é mãe do empresário Breno Fernando Solon Borges, 37, que foi libertado da prisão após ser preso com 129 quilos de maconha e munição.

A ação irá apurar possíveis violações à Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman). O procedimento corre no CNJ em sigilo. Após serem notificados, os magistrados terão cinco dias para apresentar as defesas. Com as alegações dos desembargadores em mão, o ministro decidirá se propõe ao Plenário do conselho a abertura de um procedimento administrativo disciplinar.

Libertação do filho

O plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Mato Groso do Sul havia decidido no último dia 21 substituir a prisão preventiva de Breno, filho da presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, por uma internação provisória em uma clínica médica. Preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com 129 kg de maconha e 199 munições, Breno teve laudos anexados ao processo, comprovando que ele sofre com doença que consiste no "desvio dos padrões de comportamento".



Breno foi preso na madrugada do dia 8 de abril no município de Água Clara. Na ocasião, ele estava acompanhado da namorada e de um amigo. Em dois veículos, o trio transportava 129,9 kg de maconha, 199 munições calibre 7.62 e 71 munições calibre 9 milímetros, armamento de uso restrito das Forças Armadas do Brasil.

Em outro processo, Breno é acusado de planejar fugas de uma penitenciária de segurança máxima de Mato Grosso do Sul. Na denúncia apresentada pelo Ministério Público ele foi apresentado como o "mentor" do grupo.

A decisão foi tomada pelo também desembargador José Ale Ahmad Netto, reforçando o pedido de habeas corpus que havia sido aceito pelo desembargador Ruy Celso Barbosa Florence.

 


Recomendados para você


Comentários

Por galvao,04/08/2017

Esses desembargadores são mais bandidos do que o filho da mãe, mãe desembargadora. Esse são bandidos de alta periculosidade, um perigo eminente a sociedade. Pau disciplinar neles. Mas a justiça nossa é uma merda, pois a punição maior que eles podem pegar é a aposentadoria compulsoria, e ganhando o mesmo valor como se estivesse na ativa, É FODA, O CRIME COMPENSA NESTE PAÍS.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM