Jornal do Commercio
SAÚDE

Há grande desinformação sobre mudanças na PNAB, diz ministro da Saúde

O ministro convocou uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (10) para apresentar as novas propostas da pasta para o PNAB

Publicado em 10/08/2017, às 12h40

"Alguns setores alegam prejuízos que não existem na nova PNAB", disse Ricardo Barros no início da reunião
Foto: Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, negou nesta quinta-feira (10) que as mudanças na Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) causarão prejuízos à Estratégia Saúde da Família (ESF) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). "O que a gente está fazendo é adequar o PNAB à realidade do País", declarou Barros.

O ministro convocou uma coletiva de imprensa na manhã desta quinta para apresentar as novas propostas da pasta para o PNAB, que devem começar ser implementadas a partir do final do mês de agosto.

Entre as alterações propostas pelo Ministério da Saúde para o novo PNAB estão a possibilidade de outros modelos de atenção básica além da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e a unificação de um único profissional do agente comunitário de saúde e do agente de combate às endemias.

"Há uma desinformação muito grande. Alguns setores alegam prejuízos que não existem na nova PNAB", disse o ministro no início da reunião. Ele defendeu que a política de atenção básica precisa se "adaptar aos avanços" do País.



Na semana passada, três entidades da saúde, Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) e Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), se manifestaram contra a revisão do PNAB. Essas entidades consideram que a proposta revoga a prioridade do modelo assistencial da Estratégia Saúde da Família (ESF).

O diretor do departamento de atenção básica do MS, Alan Nunes, afirmou nesta quinta que não haverá retirada de investimento da área da saúde da família. "O que a gente está reconhecendo é que é preciso haver investimentos em outros modelos de organização. Estamos ampliando as possibilidades de reconhecimento, sem prejuízo ao orçamento já destinado à saúde da família", defendeu.

Barros completou dizendo que o Ministério da Saúde está "empoderando os municípios". "O que nós estamos fazendo é flexibilizar o processo. Hoje nós não reconhecemos o mundo real, fazemos de conta que só existe o ideal. Quando falamos em ampliar o financiamento, é porque passaremos a financiar equipes e serviços que não são oferecidos formalmente hoje."

Consulta

Termina nesta quinta a consulta pública sobre a revisão do PNAB, que começou no dia 28 de julho e já recebeu mais de 5 mil propostas da população até o momento. De acordo com o Ministério da Saúde, algumas sugestões poderão ser levadas em consideração na implementação das mudanças.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM