Jornal do Commercio
SOLIDARIEDADE

Empresário organiza campanha ajudar refugiado sírio hostilizado no Rio

O refugiado Mohamed Ali, que trabalha vendendo esfihas em Copacabana, foi alvo de intolerância na última semana

Publicado em 11/08/2017, às 07h11

Há uma
Há uma "vaquinha" com o objetivo de arrecadar R$ 20 mil para que Mohamed compre um Food Truck
Foto: Reprodução
Estadão Conteúdo

Uma campanha solidária para ajudar um imigrante árabe a ter seu próprio Food Truck está mobilizando cariocas nas redes sociais desde a última quarta-feira (9). 

O refugiado Mohamed Ali, que trabalha vendendo esfihas em Copacabana, na zona sul do Rio, foi alvo de intolerância na última semana, quando seus pertences foram jogados no chão. Alguns homens o mandaram "sair do Brasil", "voltar para o seu país" e até o xingaram de "homem-bomba".

O caso foi transmitido na televisão e rapidamente se espalhou pelas redes sociais. A cena de ódio despertou a solidariedade de muitos, como o empresário Guilherme Benedictis, que resolveu botar a mão na massa para ajudar Mohamed, imigrante filho de mãe síria e pai egípcio que mora no Brasil há três anos.

Ele conheceu Mohamed pelas redes sociais após ver o vídeo da agressão. "Comentei que gostaria de ajudar, pois trabalho com eventos gastronômicos", disse. Fizeram uma campanha para que os dois se encontrassem, o que ocorreu no início dessa semana.



Após a conversa, Benedictis e seu amigo Éverson Martins decidiram criar um evento no Facebook chamado "Comer esfiha na barraca do Mohamed". Mais de 10 mil confirmaram presença e 30 mil disseram se interessar pela publicação. "O evento é uma forma de todos poderem dar um abraço no Mohamed e provar suas delícias", diz. "Ele é uma ótima pessoa e merece receber esse carinho".

Vaquinha online para ajudar refugiado

Depois, Guilherme decidiu organizar uma "vaquinha" online com o objetivo de arrecadar R$ 20 mil para que Mohamed compre seu próprio Food Truck. A vaquinha surgiu após a conversa entre os dois, quando ele ouviu a história do imigrante, que é casado com uma brasileira e tem um filho. "Quando ele disse que o sonho dele é ter um Food Truck, seus olhos encheram de lágrima", conta Benedictis. "Após isso, não pensei duas vezes: procurei um site confiável e criei a campanha de surpresa para ele".

A campanha começou em 9 de agosto e encerra em 10 de setembro. Até as 21 horas desta quinta, a vaquinha já tinha conseguido R$ 1.070 para Mohamed.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM