Jornal do Commercio
DIPLOMACIA

Colômbia, México e Peru rejeitam ameaça de Trump à Venezuela

Em um comunicado da chancelaria, o governo mexicano expressou sua rejeição "ao uso ou ameaça de uso da força nas relações internacionais"

Publicado em 12/08/2017, às 18h00

Os países se posicionaram diante da advertência de Trump sobre a possibilidade da intervenção militar / Foto: AFP
Os países se posicionaram diante da advertência de Trump sobre a possibilidade da intervenção militar
Foto: AFP
AFP

Colômbia, Peru e México rechaçaram neste este sábado (12) o uso da força na Venezuela diante da advertência do presidente Donald Trump sobre a possibilidade de uma intervenção militar no país, em meio à crise política e econômica.

Colômbia

"Rejeitamos medidas militares e o uso da força no sistema internacional. Todas as medidas devem ser tomadas respeitando-se a soberania da Venezuela, através de soluções pacíficas", informou a chancelaria colombiana.

Peru

O governo do Peru, um dos mais fortes críticos ao regime de Maduro, também se manifestou contrariamente à opção militar e reiterou que o diálogo é a única via para recuperar a democracia na Venezuela.

"O Peru rejeita qualquer ameaça ao uso da força não autorizado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas", afirmou o Ministério das Relações Exteriores peruano em comunicado que evitou mencionar os Estados Unidos.



Segundo uma fonte diplomática, o Peru quer deixar claro que percebe a declaração do presidente Trump como uma ameaça à paz e à segurança internacional.

México

O governo mexicano também rejeitou o uso da força nas relações internacionais.

"A crise na Venezuela não pode ser resolvida mediante ações militares, internas ou externas", escreveu o chanceler mexicano Luis Videgaray em sua conta do Twitter.

Em um comunicado da chancelaria, o governo mexicano expressou sua rejeição "ao uso ou ameaça de uso da força nas relações internacionais".


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM