Jornal do Commercio
Jogos de Inverno

Jogos Olímpicos de Inverno terminam como os 'Jogos da Paz'

No campo esportivo, a grande vencedora foi a Noruega, que liderou o quadro de medalhas, com 39, sendo 14 de ouro

Publicado em 25/02/2018, às 12h30

Os Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang terminaram neste domingo (26) com uma cerimônia que resumiu os 'Jogos da Paz' / Foto: AFP
Os Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang terminaram neste domingo (26) com uma cerimônia que resumiu os 'Jogos da Paz'
Foto: AFP
AFP

Depois de 16 dias de competição e meses de gestão diplomática, os Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang terminaram neste domingo (26) com uma cerimônia que resumiu os 'Jogos da Paz': a presença de uma delegação norte-coreana de alto nível, mas sem a bandeira russa. No campo esportivo, a grande vencedora foi a Noruega, que liderou o quadro de medalhas, com 39, sendo 14 de ouro.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

O general norte-coreano Kim Yong Chol e a filha do presidente americano Donald Trump, Ivanka, assistiram a cerimônia de encerramento em Pyeongchang.

De acordo com imagens da área VIP do Estádio Olímpico, o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, apertou a mão de Ivanka Trump e logo depois do general Kim Yong Chol, sentando uma fila atrás da filha do presidente dos Estados Unidos.

Mais cedo, a delegação norte-coreana, liderada por um polêmico general considerado um "criminoso de guerra" pela oposição sul-coreana, foi recebida pelo vice-ministro da Unificação de Seul, Chun Hae-sung, no posto fronteiriço de Dorasan.

A visita de Kim Yong Chol provocou a ira da oposição conservadora sul-coreana, porque ele é suspeito de ter ordenado os disparos de torpedo contra a corveta sul-coreana Cheonan em 2010, que matou 46 pessoas. Pyongyang sempre negou qualquer responsabilidade.

Protestos

Centenas de pessoas protestaram perto da fronteira durante a noite e exigiram que Kim Yong Chol "pedisse desculpas de joelho às famílias das vítimas".

Mas os Jogos de Pyeongchang-2018, que começaram em 9 de fevereiro, foram o cenário de uma aproximação espetacular entre Coreia do Norte e Coreia do Sul, que oficialmente estão em guerra desde 1953.

O presidente do COI, Thomas Bach, agradeceu em seu discurso os gestos das duas Coreias, que desfilaram juntas nas cerimônias de abertura e encerramento e formaram uma equipe conjunta feminina de hóquei no gelo.

"Desfilando juntos compartilharam a fé em um futuro pacífico", disse o alemão. "Mostraram como o esporte, em nosso mundo frágil, reúne os povos. Mostraram como o esporte constrói pontes", completou Bach.



'Novos Horizontes'

O presidente do COI destacou Pyeongchang-2018 como os "Jogos de novos horizontes". "Os Jogos receberam novas provas que atraem jovens gerações. A tecnologia digital permitiu a um maior número de países assistir os esportes de inverno de múltiplos modos. Posso afirmar sinceramente: os Jogos Olímpicos de Pyeongchang-2018 são os Jogos de novos horizontes".

Poucas horas antes da cerimônia de encerramento, o COI decidiu manter a suspensão da Rússia por doping e a bandeira do país não foi exibida no evento final dos Jogos.

Conquistas

Com mais de 2.900 atletas, 102 títulos olímpicos foram disputados em 16 dias de competição. E a grande vencedora foi a pequena Noruega, que tem pouco mais de cinco milhões de habitantes. 

O país terminou como líder no quadro de medalhas, com 14 medalhas de ouro e 39 no total. A Alemanha ficou em segundo lugar, com o mesmo número de ouros, mas 31 medalhas no total.

As 39 medalhas da Noruega representam um recorde de pódios para um país em apenas uma edição dos Jogos de Inverno. A marca anterior pertencia aos Estados Unidos (37 em Vancouver-2010).

O principal nome do país no evento foi Marit Björgen, que neste domingo ampliou seu recorde de pódios em Jogos Olímpicos de Inverno ao conquistar sua 15ª medalha, o ouro, nos 30 km do esqui cross-country de Pyeongchang. 

Börgen chegou na Coreia do Sul com 10 medalhas, conquistadas desde os Jogos de Salt Lake City em 2002. Em Pyeongchang-2018 ela também conquistou o ouro na prova de revezamento 4x5 km, a prata no 7,5 km sprint + 7,5k m esquiatlo e o bronze nos 10 km livre e na prova de velocidade por equipes do esqui cross-country.

Em sua coleção de conquistas olímpicas, Björgen tem oito medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze.

Os Jogos Olímpicos continuarão na Ásia: a edição de verão em 2020 acontecerá em Tóquio, enquanto a competição de inverno de 2022 será organizada por Pequim. 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM