Jornal do Commercio
Mobilização

Vivienne Westwood vende camisas em apoio a Julian Assange

A camisa branca unissex, que leva o slogan impresso em inglês "Eu sou Julian Assange" (I'm Julian Assange) custará 40 libras esterlinas

Publicado em 30/10/2012, às 13h43

Da AFP

A veterana estilista britânica Vivienne Westwood venderá a partir de sábado uma camisa em apoio ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, refugiado há mais de quatro meses na embaixada do Equador em Londres, anunciou em seu blog.

A camisa branca unissex, que leva o slogan impresso em inglês "Eu sou Julian Assange" (I'm Julian Assange) sobre uma foto do rosto da estilista com um penteado inspirado no ex-hacker australiano, custará 40 libras esterlinas (65 dólares) na internet.

"Camisas para Julian: Você pode mostrar o seu apoio a um herói real visitando www.viviennewestwood.com", escreveu em seu blog a estilista ruiva de 71 anos, incansável defensora de causas diversas.

"As doações para o WikiLeaks foram bloqueadas, mas 100% do lucro das vendas da camisa pode ajudá-los a financiar seu trabalho", acrescentou.

Westwood vestiu a camisa durante uma visita realizada na semana passada a Assange na embaixada do Equador, onde o australiano ainda espera uma resolução para o caso, depois que o governo de Rafael Correa concedeu asilo político em agosto.

Assange buscou refúgio na embaixada no dia 19 de junho para evitar uma iminente extradição para a Suécia, onde é suspeito de crimes de agressão sexual, mas onde ainda não foi formalmente acusado.

O ativista, de 41 anos, teme que o objetivo final seja entregá-lo para os Estados Unidos, onde poderia ser julgado e sentenciado à morte por expor dezenas de milhares de documentos confidenciais de seu governo através do WikiLeaks.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM