Jornal do Commercio
malásia

Austrália investiga possíveis destroços de avião

Segundo a rede CNN, no entanto, as equipes estão enfrentando dificuldades para achar a localização correta devido à baixa visibilidade na região

Publicado em 20/03/2014, às 07h43

Imagens de satélite no ponto do Oceano Índico onde podem estar os destroços do avião / Foto: AFP

Imagens de satélite no ponto do Oceano Índico onde podem estar os destroços do avião

Foto: AFP

Da AE

Quatro aviões militares da Austrália estão em busca de dois objetos identificados por imagem de satélite boiando no Oceano Índico que podem estar relacionados ao voo MH370 da Malaysia Airlines. Uma das peças teria 24 metros de comprimento e a segunda cerca de 5 metros. Segundo a rede CNN, no entanto, as equipes estão enfrentando dificuldades para achar a localização correta devido à baixa visibilidade na região.

"Isso é uma grande vantagem para as investigações, provavelmente a melhor pista que temos agora", disse John Young, gerente da Autoridade de Segurança Marítima da Austrália. Ele advertiu que há possibilidade de os objetos serem destroços marítimos, pois o local é uma longa rota de navios de carga.

A região identificada pelo satélite fica a cerca de 2,5 mil quilômetros do território australiano, ao sudoeste de Pert, e é a metade do caminho entre a Austrália e a Antártica. Segundo Young, a visibilidade, com nuvens densas e chuvas, está prejudicando os esforços para encontrar os destroços. "A indicação é de que os objetos têm um tamanho razoável e, provavelmente, estão inundados com água, movendo-se para cima e abaixo da superfície", explicou.

Durante a madrugada, a Autoridade de Segurança Marítima da Austrália divulgou duas imagens capturadas no dia 16 de março, que foram analisadas ao longo dos últimos quatro dias.

Especialistas acreditam, no entanto, que as chances de as duas peças pertencerem ao avião desaparecido são pequenas. "Há uma grande probabilidade de esses destroços serem de outras companhias de transporte", apostou Jason Middleton, professor de aviação na Universidade de New South Wales, em Sydney.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.
20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius 20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius
Nos últimos 20 anos, o cinema pernambucano ganhou em diversidade e número de filmes produzidos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2016 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM
?>