Jornal do Commercio
PAQUISTÃO

Bebê acusado de agredir um policial

Toda a família foi acusada, inclusive o garoto, de 9 meses de idade

Publicado em 07/04/2014, às 05h00

AFP

ISLAMABAD - Um bebê de apenas nove meses foi convocado a aparecer perante um tribunal no Paquistão sob a acusação de tentativa de assassinato a um policial. Muhammad Mosa Khan foi uma das 30 pessoas chamadas para prestar esclarecimentos sobre uma operação da polícia, que tentava prender ladrões de gás na cidade de Lahore.

O pequeno Muhammad foi detido no início de fevereiro junto com vários membros de sua família. A polícia acusa todos os suspeitos de agressão a policiais. Um dos policiais teria sido golpeado com pedaços de madeira.

Na quinta-feira (3), Muhammad Mosa Khan compareceu ao tribunal no colo de Muhammad Yasin, seu avô. Ele foi liberado e o julgamento foi adiado para o dia 12 de abril, segundo relatos da mídia de Lahore. O pai de Khan também está entre os acusados.

“Todos os presentes perguntavam como um garoto pode ser envolvido em um caso como este? Que tipo de justiça e política é essa?”, criticou Yasin.

Para o advogado da família do bebê, não há sustentação jurídica para acusar o garoto. “O tribunal deve reconhecer que ele é inocente, pois a idade penal mínima é de sete anos”, disse Irfan Sadiq Chaundhry, que defende o menino. 

Desde 2013, o país aumentou a idade mínima para ser penalizado de sete para 12 anos. A única exceção são em casos de terrorismo.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM