Jornal do Commercio
Autoridades

China devolve o passaporte do artista e ativista Ai Weiwei

Pintor, escultor e artista plástico foi acusado de fraude fiscal

Publicado em 22/07/2015, às 10h56

Ai Weiwei foi detido de abril a junho de 2011 / Foto: AI WEIWEI / AFP

Ai Weiwei foi detido de abril a junho de 2011

Foto: AI WEIWEI / AFP

Da AFP

O artista e dissidente chinês Ai Weiwei, que mantém relações delicadas com as autoridades comunistas, anunciou nesta quarta-feira que Pequim devolveu seu passaporte, depois de ter ficado privado dele por quatro anos. O famoso ativista iconoclasta postou nas redes sociais uma foto sua com o documento e a frase "hoje recuperei meu passaporte".

O artista confirmou à AFP por SMS a entrega do documento e complementou a mensagem com um "smiley". Ai Weiwei empreendeu uma campanha durante 600 idas para recuperar seu passaporte, fotografando ramos de flores que mudava diariamente na cesta de uma bicicleta estacionada diante de seu ateliê. Uma iniciativa que repercutiu na internet, com a hashtag #flowersforfreedom.

Pintor, escultor e artista plástico, Ai Weiwei foi acusado de fraude fiscal e detido de abril a junho de 2011, o que provocou uma onda de indignação em todo o mundo. 

As relações tensas entre Weiwei e as autoridades chinesas parecem, no entanto, ter se acalmado nos últimos meses. Em junho, o jornal oficial Global Times sugeriu em um editorial que era a hora de "virar a página" em relação ao artista.

As autoridades também permitiram que o artista inaugurasse sua primeira exposição individual no Espaço 798, um bairro de Pequim dedicado à arte contemporânea.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM