Jornal do Commercio
Caça Esportiva

Zimbábue libera parcialmente a caça de leões, leopardos e elefantes

O Zimbábue impôs limites de caça de grande porte no dia 2 de agosto nas áreas que rodeavam os parques naturais após vir a público que o leão Cecil, o mais famoso do país, tinha sido abatido

Publicado em 10/08/2015, às 13h51

A liberação vem uma semana depois de a medida restritiva entrar em vigor pela morte polêmica do leão Cecil por um caçador norte-americano / Foto: ZIMBABWE NATIONAL PARKS / AFP

A liberação vem uma semana depois de a medida restritiva entrar em vigor pela morte polêmica do leão Cecil por um caçador norte-americano

Foto: ZIMBABWE NATIONAL PARKS / AFP

Da ABr

O Zimbábue liberou parcialmente a caça de leões, leopardos e elefantes, uma semana depois de a medida restritiva entrar em vigor pela morte polêmica do leão Cecil por um caçador norte-americano.

Em comunicado, a principal associação de guias e caçadores profissionais do Zimbábue afirmou que a proibição da caça de grande porte será feita em alguns locais, como o Parque Nacional de Hwange, onde morreu o leão Cecil, e também nas zonas de caça ao sul do local. Caçadores locais e seus clientes estrangeiros serão acompanhados de guardas dos parques nacionais.

O Zimbábue impôs limites de caça de grande porte no dia 2 de agosto nas áreas que rodeavam os parques naturais após vir a público que o leão Cecil, o mais famoso do país, tinha sido abatido em julho por um caçador norte-americano.

A proibição de caça de grande porte pelo Zimbábue vai continuar em lugares como Antoinette Farm e Railway Farm 31, dois parques naturais de propriedade privada situados na fronteira do Parque Nacional de Hwange. “Não será permitida a caça de animais emblemáticos”, ressaltou a associação.

Um conservacionista declarou à agência EFE que a nova regulamentação também revogou a autorização que os guardas tinham para caçar animais com fins de alimentação dentro dos parques, porque estavam abusando dessa prática, ainda que a medida deverá ser retificada pela autoridade dos parques e vida selvagem do Zimbábue.

A mesma fonte, que pediu anonimato, assegurou que apesar da liberação de parte dos limites da caça, a nova regulamentação restringirá as práticas “de toda a indústria de caça".

A morte do leão Cecil reabriu o debate sobre a caça legal em países como o Zimbábue. O leão, de 13 anos, foi atraído para fora do parque (lugar protegido e onde a caça é proibida).




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM