Jornal do Commercio
BLOQUEIO

Israel fecha parcialmente principal cidade palestina na Cisjordânia

Forças Armadas de Israel disseram nesta segunda-feira (1º) que apenas casos humanitários receberão autorização para deixar Ramallah e que apenas moradores podem entrar

Publicado em 01/02/2016, às 08h42

Decisão foi adotada após policial palestino abrir fogo contra soldados em um posto de controle da Cisjordânia, no domingo (31) / Foto: AHMAD GHARABLI / AFP

Decisão foi adotada após policial palestino abrir fogo contra soldados em um posto de controle da Cisjordânia, no domingo (31)

Foto: AHMAD GHARABLI / AFP

Do Estadão Conteúdo

Militares israelenses informaram que bloquearam parcialmente a principal cidade palestina na Cisjordânia, Ramallah, após um ataque a tiros perto dela ocorrido no domingo (31). As Forças Armadas de Israel disseram nesta segunda-feira que apenas casos humanitários receberão autorização para deixar Ramallah e que apenas moradores podem entrar.

A Autoridade Palestina tem sua sede na cidade, localizada a 20 quilômetros de Jerusalém. Os militares pareciam abrir os postos de controle de tempos em tempos e carros podiam deixar a cidade. Medidas do tipo eram comuns durante o levante palestino da Intifada, encerrado há uma década, mas têm sido raramente utilizadas nos últimos anos.

A decisão foi adotada após um policial palestino abrir fogo contra soldados em um posto de controle da Cisjordânia perto de Ramallah, no domingo (31), ferindo três pessoas.

Nesta segunda-feira (1º), as forças israelenses mataram a tiros um palestino, após ele tentar esfaquear soldados na Cisjordânia. Israel disse que o palestino tentou cruzar um posto de controle na Cisjordânia quando os militares se aproximaram dele. Os militares disseram que ele então puxou uma faca e tentou esfaquear os soldados, que abriram fogo e o mataram.

Pelo menos 151 palestinos foram mortos por fogo israelense desde o início do pico de violência na região, em meados de setembro. Israel disse que 106 deles eram pessoas que realizaram ataques e os demais morreram em confrontos com tropas israelenses. Vinte e seis israelenses, bem como um estudante norte-americano, foram mortos no mesmo período, em sua maioria em ataques de palestinos com facas. Fonte: Associated Press.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM