Jornal do Commercio
CANAL

Exército israelense fecha tv palestina na Cisjordânia

Israel acusa o Falestine al-Yom (A Palestina de Hoje) de ser porta-voz da organização Jihad Islâmica e de alimentar a violência

Publicado em 11/03/2016, às 11h39

O exército apreendeu material de gravação e difusão, informou o canal / Foto: HAZEM BADER / AFP

O exército apreendeu material de gravação e difusão, informou o canal

Foto: HAZEM BADER / AFP

Da AFP

O exército israelense revistou na madrugada desta sexta-feira (11) o canal de televisão palestino Falestine al-Yom, em Ramalllah, fechou suas instalações e prendeu seu diretor.

Israel acusa o Falestine al-Yom (A Palestina de Hoje) de ser porta-voz da organização Jihad Islâmica e de alimentar a violência.

Esta operação é a primeira desde que o governo israelense anunciou, na semana passada, um endurecimento de sua política em relação aos meios de comunicação palestinos.

O exército, que chegou a bordo de um comboio de jipes, apreendeu material de gravação e difusão, informou o canal.

As autoridades israelenses ordenaram o fechamento da redação, indicou um porta-voz do exército. A transmissão, no entanto, continua.

O canal continuará transmitindo na Faixa de Gaza, território palestino separado geograficamente da Cisjordânia pelo território israelense, indicou o Shin Beth, o serviço israelense de inteligência e luta antiterrorista, que participou na operação.

O exército israelense também prendeu o diretor do canal, Farouq Aliat, de 34 anos, o cinegrafista Mohammed Amr e o engenheiro Chabib Chabib, indicou o sindicato de jornalistas palestinos.

"Falestine al-Yom incita a cometer atos terroristas contra Israel e seus cidadãos. É uma ferramenta essencial da Jihad Islâmica para incitar a população da Cisjordânia à violência", afirmou Shin Beth em um comunicado.

"O diretor do canal é um ativista da Jihad Islâmica, que já foi preso em Israel por suas atividades", acrescentou.

Israel, Jerusalém e os Territórios Palestinos são cenários desde 1º de outubro de uma onda de violência que deixou 188 mortos palestinos, 28 israelenses, dois americanos, um eritreu e um sudanês, segundo balanço da AFP. 

 




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM