Jornal do Commercio
CHINA

Pena de morte para autoridade chinesa por aceitar subornos

O ex-funcionário provincial foi condenado à morte neste domingo, normalmente quem comete o crime é condenado à prisão perpétua

Publicado em 09/10/2016, às 16h58

Bai Enpei aceitou mais de 36 milhões de dólares em suborno / Foto: Reprodução / Internet
Bai Enpei aceitou mais de 36 milhões de dólares em suborno
Foto: Reprodução / Internet
AFP

Um ex-funcionário provincial chinês de alto escalão, julgado por ter aceitado mais de 240 milhões de iuanes (36 milhões de dólares) em subornos, foi condenado à morte neste domingo (9), uma pena geralmente comutada por prisão perpétua.

Bai Enpei, ex-integrante de alto escalão do Partido Comunista na província de Yunnan (sudoeste), foi condenado pelo tribunal de Anyang desta província.

A corrupção se tornou endêmica na China, razão pela qual o presidente Xi Jinping lançou uma midiática campanha para colocar fim a ela quando chegou ao poder, em 2012. Os analistas, estimam, no entanto, que a China não conseguiu contrabalançar a influência política neste tema.

Bai se tornou o número um do partido em Yunnan, cargo que ocupou entre 2001 e 2011. Em 2014 foi alvo de uma investigação.

O tribunal disse que havia aceitado subornos em troca de direitos imobiliários, projetos de mineração ou promoções políticas.

Outros casos

Outros dois ex-funcionários de alto escalão acabam de ser declarados culpados de corrupção, anunciou a agência oficial China Nova neste domingo. Zhou Benshun, ex-dirigente da província de Hebei (norte), foi acusado de ter aceitado subornos, assim como Yang Dongliang, principal responsável da segurança trabalhista do país até o ano passado, indicou a agência. O Partido Comunista havia lançado uma investigação interna a respeito de Yang pouco depois de uma enorme explosão em um depósito de produtos químicos na qual 173 pessoas morreram no porto de Tianjin (nordeste). Zhou Benshun, que foi afastado de seu cargo na província de Hebei no ano passado, foi o assistente do "czar" da segurança chinesa, Zhou Yongkang, preso no início da campanha anticorrupção lançada pelo presidente Xi.

Recomendados para você


Comentários

Por CLÁUDIO DE MELO SILVA,28/05/2017

O Brasil precisa copiar este tipo de pena. Ninguém aguenta mais tanta corrupção.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM