Jornal do Commercio
ESTADOS UNIDOS

Diretor do FBI confirma investigação sobre laços entre Trump e Rússia

As agências americanas de inteligência concluíram em janeiro que o presidente russo, Vladimir Putin, esteve à frente de interferências

Publicado em 20/03/2017, às 13h09

O FBI está investigando os esforços do governo russo para interferir na eleição presidencial de Trump, segundo Comey / Foto: AFP
O FBI está investigando os esforços do governo russo para interferir na eleição presidencial de Trump, segundo Comey
Foto: AFP
AFP

O diretor do FBI, James Comey, confirmou pela primeira vez nesta segunda-feira (20) uma investigação sobre as tentativas de interferência russa durante a corrida presidencial de 2016, e especialmente uma possível coordenação entre membros da campanha de Donald Trump e do Kremlin.

O FBI "está investigando os esforços do governo russo para interferir na eleição presidencial de 2016", declarou Comey durante uma audiência na Comissão de Inteligência na Câmara de Representantes.

Comey disse que "isso inclui investigar a natureza dos laços entre indivíduos associados à campanha de Trump e o governo russo e se houve alguma coordenação entre a campanha e os esforços da Rússia".

A declaração de Comey confirmou semanas de informações divulgadas pela imprensa americana segundo as quais a polícia federal investigava a explosiva acusação de que a surpreendente vitória de Trump sobre a democrata Hillary Clinton em novembro contou com a ajuda da Rússia.

As agências americanas de inteligência concluíram em janeiro que o presidente russo, Vladimir Putin, esteve por trás das tentativas de interferência.

Chefe da comissão

Mas não haviam comentado publicamente se estavam sendo examinados os laços entre os integrantes da campanha de Trump e funcionários russos.

O chefe da comissão, o deputado republicano Devin Nunes, iniciou a sessão, a primeira audiência pública sobre o tema, afirmando que este painel "não havia visto evidências até a data de que membros da campanha conspiraram com agentes russos".

Mas o democrata Adam Schiff detalhou uma lista de supostos vínculos e comunicações entre a equipe de Trump e a Rússia.

"É possível que todos estes eventos e relatos sejam completamente desconexos e apenas uma infeliz coincidência? Sim, é possível", disse.

"Mas também é possível, talvez mais que possível, que não sejam uma coincidência, que não estejam desconectados e não sejam desconexos", acrescentou.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM