Jornal do Commercio
Tensão

Anistia Internacional e UE alertam para a violência na Venezuela

Atos de violência registrados na Venezuela foram condenados pela Anistia Internacional e pela União Européia

Publicado em 20/04/2017, às 09h37

Presidente da venezuela é acusado de mergulhar o país em uma severa crise econômica e política / Foto: RONALDO SCHEMIDT/AFP
Presidente da venezuela é acusado de mergulhar o país em uma severa crise econômica e política
Foto: RONALDO SCHEMIDT/AFP
AFP

O ciclo de violência e repressão na Venezuela ameaça a vida da população, alertaram nesta quinta-feira a Anistia Internacional e a União Europeia depois da morte de dois rapazes e um militar na mobilização de quarta-feira contra o governo de Nicolás Maduro.

"A onda de violência e de repressão durante as manifestações na Venezuela está mergulhando o país em uma crise de difícil volta atrás e que ameaça a vida e a segurança da população", assinalou a organização em um comunicado divulgado em Buenos Aires.

"É inaceitável que, apenas por sair às ruas, automaticamente um venezuelano ou uma venezuelana se encontre em perigo e fiquem expostos à repressão descontrolada das forças de segurança. É um direito de expressão, não um direito qualquer, mas o mais importante de toda a estrutura democrática”,disse Mariela Belski, diretora executiva da Anistia Internacional Argentina.



A União Europeia, por sua vez, condenou os atos de violência registrados na Venezuela e pediu uma "desescalada" no país.

"Pedimos a todos os venezuelanos que se unam para fazer uma desescalada da situação e achar soluções democráticas dentro da Constituição", indicou a porta-voz Nabila Massrali.

Com bombas de gás lacrimogêneo, tropas de choque bloquearam na quarta-feira a gigantesca marcha contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em Caracas, onde estouraram focos de violência que causaram a morte de uma jovem de 23 anos e de um adolescente de 17.

Com estas duas vítimas, sobe para sete o número de mortos em três semanas de protestos, com os quais a oposição exige eleições gerais para tirar Maduro do poder. 

O presidente é acusado de mergulhar o país rico em petróleo em uma severa crise econômica e política.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM