Jornal do Commercio
Iêmen

Epidemia de cólera no Iêmen já causou 34 mortes em 11 dias, diz OMS

As informações são da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Publicado em 09/05/2017, às 17h40

A Médicos Sem Fronteiras instalou centros de tratamento de cólera em cinco hospitais para isolar e tratar pacientes com sintomas da doença e para apoiar outras estruturas das autoridades de saúde do Iêmen / Foto: Reprodução/MSF
A Médicos Sem Fronteiras instalou centros de tratamento de cólera em cinco hospitais para isolar e tratar pacientes com sintomas da doença e para apoiar outras estruturas das autoridades de saúde do Iêmen
Foto: Reprodução/MSF
ABr

A epidemia de cólera no Iêmen causou 34 mortes em nove de suas províncias em apenas 11 dias e, além disso, foram registrados 2.022 casos de diarreia aguda e suspeita de cólera no país, informou nesta terça-feira (9) a Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Estamos preocupados pelo ressurgimento de casos em Sanaa, Ad Dali, Ibb, Ta'izz, Dhamar, Hajjah, Al Bayda, Al Mahwit, Asima e Hudaydah", falou à Agência Efe o porta-voz da organização Tarik Jasarevic. "A OMS está em um estado de elevado alerta para conter o recente aumento de casos suspeitos de cólera", acrescentou.

Jasarevic disse que prevenir a expansão do surto é uma alta prioridade da OMS e "estamos coordenando esforços com todas as partes para assegurar uma resposta eficaz e rápida".



Médicos Sem Fronteiras

A ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) também apontou em um comunicado que seus profissionais no Iêmen tratam um crescente número de pacientes com cólera e diarréia aguda. "O número de pacientes aumentou drasticamente durante as últimas duas semanas, alcançando no total mais de 780 casos desde 30 de março", informou a ONG.

A MSF instalou centros de tratamento de cólera em cinco hospitais para isolar e tratar pacientes com sintomas da doença e para apoiar outras estruturas das autoridades de saúde do Iêmen. Desde o final de abril, as equipes da MSF trataram 276 pacientes em Dhalea e desde 30 de abril fez mesmo em 263 casos em Hajja, onde 168 foram recebidos nas últimas duas semanas.

Em Amran, Ibb e Ta'izz também foram internados "centenas" de pacientes nas últimas semanas.
O Ministério de Saúde Pública e População do Iêmen informou sobre mais de 310 casos na capital, Sanaa. As capacidades do sistema de saúde iemenita pioraram notavelmente devido ao conflito armado no país.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM