Jornal do Commercio
Meio Ambiente

ONG escolhe nome de Alba para fêmea de orangotango encontrada Bornéu

O raro exemplar deste animal foi encontrado preso em uma jaula, em uma localidade isolada do distro de Kapuas Hulu, na província de Kalimantan Centro

Publicado em 15/05/2017, às 13h55

É a primeira vez que a BOSF acolhe um orangotango albino desde sua criação, há 25 anos / Foto: Reprodução/AFP
É a primeira vez que a BOSF acolhe um orangotango albino desde sua criação, há 25 anos
Foto: Reprodução/AFP
AFP

Uma ONG de defesa dos animais anunciou nesta segunda-feira (15) que escolheu o nome de Alba para uma fêmea de orangotango de olhos azuis resgatada na parte indonésia da ilha de Bornéu, depois de receber uma série de sugestões.

O raro exemplar deste animal foi encontrado preso em uma jaula, em uma localidade isolada do distro de Kapuas Hulu, na província de Kalimantan Centro.

A Fundação para a Sobrevivência do Orangotango de Bornéu (BOSF, em inglês) afirmou que o nome escolhido tem um grande significado. "Felizmente chegará um novo amanhecer para estes animais preciosos", declarou a ONG em um comunicado.

A fundação, que havia feito na semana passada um apelo para batizar a fêmea de orangotango, disse ter recebido milhares de sugestões do mundo inteiro.



Exemplar raro

É a primeira vez que a BOSF acolhe um orangotango albino desde sua criação, há 25 anos.

O animal, de cerca de cinco anos, estava em más condições quando foi encontrado, mas a ONG afirma que está se recuperando bem e que engordou cerca de 4,5 quilos nos últimos 15 dias.

Os orangotangos de Bornéu têm normalmente uma pelagem marrom, e o BOSF indicou que está estudando o albinismo nos grandes primatas antes de decidir a melhor forma de proceder para o futuro de Alba.

"Não podemos simplesmente colocar Alba em uma zona florestal ou em um santuário sem ter examinado seriamente todas as possibilidads", explicou Jamartin Sihite, diretor da ONG. "Até o momento não conseguimos encontrar nenhum outro exemplar de orangotango albino e precisamos saber mais sobre ela e sua situação especial", acrescentou.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM