Jornal do Commercio
MORTES

Ataque contra base militar no sul da Líbia deixa mortos

Até o momento, 141 óbitos foram confirmados

Publicado em 19/05/2017, às 17h58

A maioria das vítimas eram soldados, mas há a confirmação de que civis também morreram / Foto: Reprodução/ Google Maps
A maioria das vítimas eram soldados, mas há a confirmação de que civis também morreram
Foto: Reprodução/ Google Maps
AFP

Pelo menos 141 pessoas morreram em um ataque cometido na quinta-feira (18) por grupos rivais contra uma base militar no sul da Líbia - anunciou um porta-voz das forças pró-Khalifa Haftar nesta sexta (19), acrescentando que eram, em sua maioria, soldados ligados a esse marechal.

Entre as vítimas, também há civis que trabalhavam na base de Brak al-Shati, ou que se encontravam nos arredores, relatou Ahmad al-Mesmari, porta-voz dp Exército Nacional Líbio (ENL) autoproclamado pelo marechal Haftar, que controla o leste do país.

Al-Mesmari confirmou um balanço de 141 mortos e vários feridos e desaparecidos no ataque.

De acordo com ele, "os soldados mortos voltavam de um desfile militar no leste da Líbia. A maioria não estava armada".

Horas antes, o enviado especial da ONU na Líbia, Martin Kobler, já havia divulgado uma nota, relatando os muitos mortos deixados pelo ataque.



"Estou indignado com as informações sobre um expressivo número de mortos, incluindo civis, além das informações de que podem ter ocorrido execuções sumárias", declarou Kobler, em um comunicado. 

Localização

A base de Brak Al-Shati está localizada a 650 km ao sul de Trípoli, em uma região desértica. O Estado se encontra praticamente ausente dessa área desde que o país ficou mergulhado no caos, após a queda do ditador Muammar Khadafi, em 2011.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM