Jornal do Commercio
IRAQUE

Forças iraquianas avançam em Mossul e recomendam fuga de civis

As forças iraquianas avançavam nesta segunda-feira (29) em uma nova etapa da ofensiva contra vários bairros ainda sob controle do Estado Islâmico

Publicado em 29/05/2017, às 09h09

As forças iraquianas iniciaram em outubro do ano passado uma ampla ofensiva para reconquistar Mossul / Foto: KARIM SAHIB / AFP
As forças iraquianas iniciaram em outubro do ano passado uma ampla ofensiva para reconquistar Mossul
Foto: KARIM SAHIB / AFP
Estadão Conteúdo

As forças iraquianas avançavam nesta segunda-feira (29) na zona oeste de Mossul, em uma nova etapa da ofensiva contra vários bairros ainda sob controle do grupo Estado Islâmico (EI), e recomendaram a fuga dos civis, anunciou o exército.

"Nossas unidades continuam avançando e entraram nos bairros de Al-Saha al-Ula, Al-Zinjili e Al-Shifaa, além do hospital republicano", anunciou o porta-voz do Comando Conjunto de Operações (JOC), Yahya Rassul.

Os bairros ficam ao norte da Cidade Antiga de Mossul, ainda sob controle do EI, e representam o objetivo de uma ofensiva anunciada no sábado.

A aviação iraquiana lançou panfletos sobre alguns bairros de Mossul que recomendam aos habitantes que fujam das zonas controladas pelo EI, informou nesta segunda-feira o JOC. 



Ampla ofensiva

As forças iraquianas, apoiadas pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, iniciaram em outubro do ano passado uma ampla ofensiva para reconquistar Mossul, controlada pelo EI desde junho de 2014.

Desde o fim de janeiro as forças iraquianas controlam a zona leste da cidade. Em 19 de fevereiro iniciaram uma ofensiva para assumir o controle da zona oeste de Mossul. 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM