Jornal do Commercio
ATENTADOS

Ataque do Boko Haram deixa mortos na Nigéria

Dez civis morreram em três atentados coordenados e outro perdeu a vida no bairro de Jiddari Polo, quando os habitantes tentavam fugir dos agressores

Publicado em 08/06/2017, às 10h59

No total, 24 pessoas ficaram feridas nos atentados / Foto: AFP
No total, 24 pessoas ficaram feridas nos atentados
Foto: AFP
AFP

Onze pessoas morreram em um ataque na cidade de Maiduguri, no nordeste da Nigéria, lançado na quarta-feira (7) à noite pelo grupo extremista Boko Haram, informou nesta quinta-feira (8) a polícia local.

Dez civis faleceram em três atentados suicidas coordenados e outro perdeu a vida no bairro de Jiddari Polo, quando os habitantes tentavam fugir dos agressores, explicou o delegado do estado de Borno, Damian Chukwu.



Um dos três suicidas se explodiu no bairro de Goni-Kachallari, depois que fiéis muçulmanos saíram da mesquita.

"O suicida morreu, assim como outras seis pessoas", confirmou.

"O segundo detonou o seu cinturão de explosivos nos locais das Autoridades para o Desenvolvimento do Lago Chade às 21H20 locais (17H20 de Brasília) causando três mortes, além do suicida", acrescentou Chukwu.

O terceiro atentado suicida deixou outro morto. 

Feridos na Nigéria

No total, 24 pessoas ficaram feridas.

Segundo várias testemunhas, um grupo de combatentes iniciou a ofensiva no campo de Aridawari, na periferia de Maiduguri, berço do Boko Haram.

Os vizinhos afirmaram que os rebeldes se dirigiram até uma base militar, cruzando o bairro de Jiddari Polo, abrindo fogo por todas as partes.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM