Jornal do Commercio
TRONO

Japão aprova lei que permitirá abdicação do imperador Akihito

Esta será a primeira abdicação no Japão em 200 anos, na qual o imperador Akihito, de 83 anos, poderá ceder o trono ao seu filho

Publicado em 09/06/2017, às 14h33

O imperador Akihito anunciou há dez meses sua intenção de renunciar ao trono janponês / Foto: Franck Robichon/EPA/EFE
O imperador Akihito anunciou há dez meses sua intenção de renunciar ao trono janponês
Foto: Franck Robichon/EPA/EFE
ABr

A Câmara Alta do parlamento do Japão (equivalente ao Senado, no Brasil) aprovou nesta sexta-feira (9) a proposta legislativa que permitirá ao imperador Akihito ceder o trono a seu filho, o príncipe herdeiro Naruhito, naquela que será a primeira abdicação no país em 200 anos. As informações são da Agência EFE.

A promulgação acontece dez meses depois de o monarca, de 83 anos, expressar seu desejo de abandonar o trono devido à sua idade avançada e saúde delicada, uma possibilidade que a lei que rege a Casa Imperial japonesa não contemplava na atualidade.

O governo deve definir agora uma data para a abdicação, que acontecerá três anos após a promulgação da legislação que se aplica apenas ao Imperador Akihito.

Embora não tenha uma data definida, o Executivo planeja para dezembro de 2018, quando o imperador completará 85 anos de idade e três décadas como chefe de Estado, ou em janeiro de 2019, coincidindo com a passagem de ano, buscando limitar o impacto dos efeitos administrativos da mudança de era que ocorreria no Japão.



Mesmo com a abdicação póstuma contemplada na atual lei da Casa Imperial, no passado, metade dos 125 imperadores que ocuparam o Trono do Crisântemo abandonaram o cargo antes da sua morte, o último foi o imperador Kokaku, em 1817.

Sucessão

O órgão legislativo aprovou também hoje uma resolução não vinculativa que pede ao governo para abrir o debate sobre a ascensão de mulheres ao trono. A lei que rege a monarquia japonesa desde 1947 não permite que mulheres ocupem o cargo. Elas também perdem o status de realeza quando se casam com um plebeu, praticamente a única opção viável, pois o único homem solteiro da família é o príncipe Hisahito, de 10 anos.

O anúncio, em maio, do noivado da neta mais velha de Akihito, a princesa Mako, com um colega de universidade, teve grande impacto social no Japão e reavivou o debate sobre a reforma da lei da Casa Imperial para tentar assegurar a sucessão, diante da escassez de nascimentos do sexo masculino dentro família.

Quando a princesa se casar, a família passará a contar com 18 membros, dos quais apenas cinco são homens: o imperador Akihito (83), o seu irmão, o príncipe Hitachi (81), o príncipe herdeiro Naruhito (57), o príncipe Akishino (51) e o príncipe Hisahito (10).


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM