Jornal do Commercio
Japão

Bebê panda nascido no Japão se mantém saudável

Bebê nasceu com 150g e está se aquecendo na pelugem da mamãe panda que tem 110kg

Publicado em 13/06/2017, às 18h49

Mamãe panda está protegendo o filhote que nasceu com 150g / Foto: AFP
Mamãe panda está protegendo o filhote que nasceu com 150g
Foto: AFP
AFP

O minúsculo bebê panda cujo nascimento na segunda-feira (12) deixou vários japoneses felizes, se mantém saudável, segundo informações do zoológico Ueno de Tóquio. 

Sua mãe, Shin Shin, de 11 anos e 110 kg, mantinha nesta terça-feira (13) sua pelugem aconchegante aquecendo o recém-nascido, cujo peso foi estimado em 150 gramas. 



"Parece ter boa saúde porque ouvimos seus pequenos gritos com certa regularidade", disse o diretor do zoológico, Yutaka Fukuda. 

Os responsáveis pelo parque afirmaram que ainda não podem determinar o sexo, peso ou tamanho do pequeno panda, uma vez que ele não se separa de sua mãe.

Esses ursos de pelugem preta e branca chegam ao mundo com uma cor rosada, sem pelos e pesando aproximadamente 100 gramas. 

Os funcionários do zoológico tentam descobrir no momento se o pequeno está tomando leite da sua mãe. 

Pandamania

Enquanto isso, uma "pandamania" invadiu a cidade de Tóquio. 

Grandes armazéns decoraram seus telhados com balões em forma de panda. Perto do zoológico, tortas e outros doces com as cores ou o formato do animal faziam sucesso.

No entorno do zoológico, as ruas foram decoradas com cartazes que diziam "felicidades ao bebê panda". 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM