Jornal do Commercio
CAÇA

Japão lança nova campanha anual de caça a baleias

Três navios sairão do país na quinta-feira (15) em uma missão prevista para durar até o fim de setembro

Publicado em 14/06/2017, às 16h12

O consumo de carne de baleia já é uma prática tradicional no Japão / Foto: AFP/Jiji Press
O consumo de carne de baleia já é uma prática tradicional no Japão
Foto: AFP/Jiji Press
AFP

O Japão lançou nesta quarta-feira (14) uma nova campanha de caça a baleias no noroeste do Pacífico, apesar das críticas internacionais e da oposição das organizações de defesa dos animais.

Três navios sairão do país na quinta-feira (15) em uma missão prevista para durar até o fim de setembro com o objetivo de caçar 43 baleias-minke e 134 rorquais do norte, especificaram a Agência de Pesca e o Ministério das Relações Exteriores em um comunicado. 

O Japão já havia lançado, no domingo (11), uma embarcação ao longo da costa do Pacífico Norte, buscando capturar 41 baleias-minke até meados de julho. 

O país destaca os objetivos científicos da campanha, embora nunca tenha escondido o fato de que a carne dos cetáceos acaba virando refeição.



O arquipélago oriental assinou a moratória da Comissão Baleeira Internacional (CBI), mas justificou sua caça como sendo para fins científicos. 

Essa justificativa é denunciada pelas organizações de defesa dos cetáceos, assim como por vários países que consideram que Tóquio utiliza de maneira desonesta uma exceção à moratória assinada em 1986. 

Em 2014, a Corte Internacional de Justiça ordenou a Tóquio que acabasse com a caça nas águas do Antártico, sugerindo que a pesquisa não cumpria os critérios científicos exigidos. 

O consumo de carne de baleia já é uma prática tradicional no Japão, país de pescadores que caça cetáceos há séculos.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM