Jornal do Commercio
Mediterrâneo

Cerca de 2 mil imigrantes e refugiados são resgatados no Mediterrâneo

Ao todo 1.050 pessoas foram resgatadas no Mediterrâneo, com isso, já são mais de 3 mil socorridos nessas águas em um período de 48 horas

Publicado em 16/06/2017, às 16h55

Até o último dia 11, 73.189 imigrantes e refugiados chegaram à Europa pelo Mediterrâneo e 1.808 morreram na tentativa / Foto: AFP
Até o último dia 11, 73.189 imigrantes e refugiados chegaram à Europa pelo Mediterrâneo e 1.808 morreram na tentativa
Foto: AFP
ABr

A Itália coordenou nesta sexta-feira (16) o resgate de cerca de 2 mil imigrantes e refugiados que tentavam alcançar o litoral europeu e estavam à deriva no Mar Mediterrâneo, informou a Guarda Costeira italiana em um comunicado. As informações são da agência de notícias EFE.

Nessa quinta-feira (15), 1.050 pessoas foram resgatadas no Mediterrâneo, com isso, já são mais de 3 mil socorridos nessas águas em um período de 48 horas.

Os resgatados desta sexta-feira (16) estavam a bordo de 15 botes infláveis e três barcos de madeira e foram socorridos por embarcações da Marinha italiana, de várias organinações não governamentais (ONGs), da Agência Europeia de Gestão de Fronteiras (Frontex) e de um navio mercante com bandeira de Cingapura.



As operações foram coordenadas pelo centro de operações da Guarda Costeira em Roma, que é subordinado ao Ministério de Infraestrutura e Transportes da Itália.

Dados

A Organização Internacional para as Migrações informou que, até 11 de junho, 73.189 imigrantes e refugiados chegaram à Europa pelo Mediterrâneo e 1.808 morreram na tentativa.

Deste total, 61.903 pessoas chegaram à Itália. No mesmo período do ano passado foram 52.775 indivíduos.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM