Jornal do Commercio
SÍRIA

ONU preocupada com escalada de violência na Síria

A preocupação aumentou após os EUA derrubarem um avião de guerra sírio

Publicado em 19/06/2017, às 18h03

O porta-voz das Nações Unidas, Stephane Dujarric, expressou preocupação no aumento da violência na Síria / Foto: LUIZ ROBERTO LIMA/CITIZENSIDE/AFP
O porta-voz das Nações Unidas, Stephane Dujarric, expressou preocupação no aumento da violência na Síria
Foto: LUIZ ROBERTO LIMA/CITIZENSIDE/AFP
AFP

A ONU expressou nesta segunda-feira (19) profunda preocupação com o risco de uma escalada da violência na Síria depois que forças dos Estados Unidos derrubaram um avião de guerra sírio e o Irã lançou mísseis sobre uma base do grupo Estado Islâmico no leste do país.

O porta-voz das Nações Unidas, Stephane Dujarric, disse que as Nações Unidas não pôde confirmar de forma independente a derrubada no domingo (18) do jato sírio perto do reduto do EI no leste da Síria ou a afirmação de que o Irã lançou seis mísseis em uma base do grupo extremista na província de Deir Ezzor.

Os incidentes "aumentam em geral nossa profunda preocupação sobre o risco de um possível erro de cálculo e escalar no conflito na Síria", disse Dujarric.



"Acreditamos que este risco aumenta quando os esforços para combater o Daesh e outros grupos terroristas não se combinam com a busca de uma solução política global do conflito sírio", acrescentou.

O Daesh é o acrônimo do grupo Estado Islâmico.

Os Guardiães da Revolução do Irã, exército de elite do regime, reafirmaram nesta segunda-feira (19) que os mísseis disparados do território iraniano destruíram com sucesso posições do EI na Síria.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM