Jornal do Commercio
Síria

Forças Democráticas Sírias entram pelo sul de Raqa pela primeira vez

Aliança formada por combatentes curdos e árabes e apoiada pelos EUA bloquearam a última saída dos combatentes do Estado Islâmico

Publicado em 02/07/2017, às 16h26

Forças Democráticas Sírias entraram em Raqa desde o dia 6 de junho / DELIL SOULEIMAN / AFP
Forças Democráticas Sírias entraram em Raqa desde o dia 6 de junho
DELIL SOULEIMAN / AFP
AFP

Neste domingo (2), as forças apoiadas pelos Estados Unidos na Síria entraram pelo sul do bastião de Raqa pela primeira vez, cruzando o rio Eufrates - relatou o Observatório dos Direitos Humanos (OSDH).

Após um cerco que durou meses, as Forças Democráticas Sírias (FDS) - uma aliança de combatentes curdos e árabes - bloqueou na quinta-feira (29) a última saída que permitia a fuga dos combatentes do grupo Estado Islâmico (EI) dessa cidade setentrional, ao tomar uma região ao sul do Eufrates.

"Hoje, [as FDS] entraram pelo sul de Raqa pela primeira vez e tomaram o mercado de Al-Hal", anunciou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, neste domingo.



"O mercado está sob controle total das FDS, ainda que sob ameaça de contra-ataque do EI", ressaltou.

A reconquista de Al-Hal foi confirmada pelas FDS.

Desde a entrada em Raqa, em 6 de junho, as FDS se instalaram em vários bairros nas zonas leste e oeste. Ainda enfrentam forte resistência do grupo EI, porém, à medida que avançam em direção à cidade.

De acordo com a coalizão internacional que apoia as forças antiextremistas, há 2.500 combatentes do EI em Raqa.

Tomada pelos extremistas em 2014, Raqa se transformou em símbolo das atrocidades cometidas pelo EI, além de se tornar base para o planejamento de atentados contra os países estrangeiros.

Segundo a ONU, mais de 100 mil civis permanecem presos em Raqa.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM