Jornal do Commercio
Hamburgo

Protestos violentos durante o G20 deixam quase 200 feridos em Hamburgo

'Eu entendo completamente os protestos pacíficos, mas os protestos violentos ameaçam as vidas das pessoas', disse Angela Merkel

Publicado em 07/07/2017, às 21h16

Manifestação violenta em Hamburgo / Foto: AFP
Manifestação violenta em Hamburgo
Foto: AFP
Estadão Conteúdo

Protestos violentos ofuscaram a reunião de líderes mundiais ocorrida nesta sexta-feira (7) na Alemanha, com anarquistas e outros lançando coquetéis molotov, bloqueando vias, queimando carros e atacando policiais. Pelo menos 196 policiais e um número não especificado de outras pessoas ficaram feridos, segundo autoridades da cidade de Hamburgo, que sedia a cúpula de líderes mundiais.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, havia tentado fazer do evento uma mensagem de harmonia global. "Eu entendo completamente os protestos pacíficos, mas os protestos violentos ameaçam as vidas das pessoas", afirmou Merkel. "Isso não é aceitável."



Alguns prédios residenciais e bancos próximos da área dos protestos tiveram janelas quebradas. A polícia usou spray de pimenta e jatos d'água para tentar controlar a situação. Manifestantes criticaram a escolha de uma cidade como Hamburgo para o evento e disseram que a polícia não lidou corretamente com os protestos. "É negligência realizar esse evento no meio de um bastião de esquerda", afirmou o estudante local Mirko Shokr, de 19 anos. Segundo ele, a polícia provocou a escalada na violência, mas Shokr também se disse frustrado com pessoas vestidas de preto que destruíram a área.

Outros protestos

Muitos dos protestos ocorridos na cidade foram pacíficos. Entre eles, havia manifestações contra o capitalismo e contra a decisão do governo dos EUA de construir um muro na fronteira com o México. Fonte: Dow Jones Newswires.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM