Jornal do Commercio
AVIAÇÃO

Avianca suspende voos para Venezuela a partir de agosto

O país enfrente uma profunda crise econômica e política

Publicado em 26/07/2017, às 16h03

A partir de 16 de agosto os trajetos serão interrompidos / Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas
A partir de 16 de agosto os trajetos serão interrompidos
Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas
AFP

A companhia aérea colombiana Avianca anunciou a suspensão, a partir desta quarta-feira (26), da venda de passagens para a Venezuela procedentes da Colômbia e do Peru. A partir de 16 de agosto os trajetos serão interrompidos.

"Frente às dificuldades que a operação aérea na Venezuela vem encontrando, a Avianca vai deixar de operar as rotas Bogotá-Caracas-Bogotá e Lima-Caracas-Lima a partir 16 de agosto de 2017", disse a companhia num comunicado.

"Como consequência, a linha aérea suspende, a partir de hoje, a venda de passagens para viagens posteriores à data nessas rotas", completou.

Após uma reunião técnica entre autoridades aeronáuticas de Bogotá, a Avianca avisou ao Instituto Nacional de Aeronáutica Civil da Venezuela e à Aerocivil de Colombia que iria suspender as operações aéreas da Colômbia e do Peru para a Venezuela.

O país enfrente uma profunda crise econômica e política. Há quatro meses, protestos pedem a saída do presidente Nicolás Maduro, que vai realizar uma Assembleia Constituinte no próximo domingo.



Segundo a Avianca, a medida se deve "à necessidade de adequar vários processos a padrões internacionais, melhorar a infraestrutura aeroportuária na Venezuela e garantir a consistência das operações"

"Após mais de 60 anos de serviços contínuos na Venezuela, a Avianca lamenta chegar a essa difícil decisão, mas nossa obrigação é garantir a segurança da operação", indicou o diretor executivo da companhia, Hernán Rincón, citado no texto.

A Avianca se soma à lista de companhias aéreas que suspenderam suas operações na Venezuela por causa de uma dívida do Estado com as empresas do setor, que chega a 3,8 bilhões de dólares, segundo uma fonte do ramo.

Em 30 de junho, a americana United Airlines fez seu último voo saindo do país. A Air Canada suspendeu a operação em 2014, bem como a Aeroméxico. Alitalia engrossou a lista em 2015, e GOL, Latam e Lufthansa, em 2016.

A Avianca garantiu que os passageiros com viagens marcadas para depois da data poderão solicitar reembolso integral do valor pago.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM