Jornal do Commercio
Atentado

Estado Islâmico reivindica ataque contra embaixada do Iraque em Cabul

Os terroristas do Estado Islâmico foram mortos e apenas um policial ficou ferido

Publicado em 31/07/2017, às 10h08

Esta é a primeira vez que a embaixada do Iraque em Cabul é alvo de um ataque / Foto: AFP
Esta é a primeira vez que a embaixada do Iraque em Cabul é alvo de um ataque
Foto: AFP
AFP

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou um ataque de várias horas nesta segunda-feira (31) contra a embaixada do Iraque em Cabul, que fica no centro da capital afegã.

"O ataque terminou, todos os criminosos foram mortos", anunciou pouco depois das 15H30 locais (8H00 de Brasília) o ministério do Interior afegão, depois de informar que quatro criminosos, incluindo um homem-bomba, abriu o caminho aos demais. 

"Os diplomatas iraquianos foram levados para um local seguro, ninguém ficou ferido", afirma o comunicado. 

O porta-voz do ministério das Relações Exteriores do Iraque, Ahmed Jamal, citou "dois mortos, dois guardas afegãos" abatidos no ataque do EI. 

Também informou que o encarregado de negócios (que substitui o embaixador) foi levado para a embaixada do Egito", perto do local. 

O ministério do Interior afegão citou apenas uma policial ferido. 

A agência de propaganda do EI, Amaq, reivindicou o atentado e mencionou em um comunicado em árabe "dois combatentes", sem revelar mais detalhes.

Esta é a primeira vez que a embaixada do Iraque em Cabul é alvo de um ataque, depois de vários atentados contra representações ocidentais.

O ministério afegão havia confirmado o ataque em uma nota divulgada mais cedo: Às 11H20 (3H50 de Brasília, um grupo de quatro terroristas atacou a embaixada iraquiana no distrito 4 de Cabul", no centro da cidade. 



"Um primeiro homem-bomba explodiu na entrada do local e outros três abriram caminho. A polícia reagiu rapidamente e os funcionários da embaixada foram levados para um local seguro", completava o texto.

De acordo com uma fonte oficial, as forças especiais foram mobilizadas e os civis retirados da área. 

Os moradores da região afirmaram que ouviram as primeiras explosões pouco depois das 11H00 (3H30 de Brasília). Eles mencionaram explosões, tiros e o uso de granadas.

Viaturas da polícia e ambulâncias foram enviadas ao local do ataque.

As lojas de Shar-e-Now, elegante bairro comercial de Cabul, foram fechadas, enquanto diversas pessoas fugiam em pânico. 

O governo afegão condenou o ataque, enquanto o ministério das Relações Exteriores do Iraque informou que acompanhava a situação com as "autoridades afegãs competentes e os países amigos".

O ataque coincide com uma série de derrotas do EI na Síria e Iraque, onde o grupo extremista perdeu seu reduto de Mossul recentemente. 

"O EI deseja enviar uma mensagem a vários Estados, não apenas o Iraque, para provar que está presente em todas as partes, especialmente depois das vitórias registradas pelas forças de segurança iraquianas", disse à AFP o cientista político Essam Al Fili. 

O grupo atua no Afeganistão desde o início de 2015. 

O EI reivindicou vários atentados no centro de Cabul no último ano, o primeiro deles o de 23 de julho de 2016, que deixou 84 mortos e 300 feridos entre a minoria xiita afegã.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM