Jornal do Commercio
ACIDENTE

Bombeiros controlam principais incêndios no centro de Portugal

Agora, não há nenhum incêndio considerado "ativo", de acordo com a Defesa Civil

Publicado em 12/08/2017, às 15h30

Os serviços de emergência conseguiram deter o avanço das chamas, mas cerca de 500 bombeiros, 200 veículos e três helicópteros se mantêm mobilizados em torno das colinas do norte / Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP
Os serviços de emergência conseguiram deter o avanço das chamas, mas cerca de 500 bombeiros, 200 veículos e três helicópteros se mantêm mobilizados em torno das colinas do norte
Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP
AFP

Mobilizadas há dias, equipes portuguesas com centenas de bombeiros conseguiram controlar, neste sábado (12), os dois principais incêndios florestais que castigam o centro de Portugal, mas o risco de novos focos permanece, devido às altas temperaturas e aos fortes ventos.

O incêndio florestal que desde quarta-feira (9) causa estragos perto da cidade de Abrantes, no distrito de Santarém, foi controlado esta manhã, anunciou a Defesa Civil.

Os serviços de emergência conseguiram deter o avanço das chamas, mas cerca de 500 bombeiros, 200 veículos e três helicópteros se mantêm mobilizados em torno das colinas do norte dessa cidade do distrito de Santarém para impedir o surgimento de novos focos.



Controle

O incêndio declarado ontem em Alvaiazere, na região de Leiria, também foi controlado. Pelo menos 200 bombeiros, 80 veículos e um avião-tanque seguem seu trabalho para a extinção completa das chamas.

Agora, não há nenhum incêndio considerado "ativo", de acordo com a Defesa Civil.

Em meados de junho, um gigantesco incêndio deixou 64 mortos e mais de 200 feridos perto de Pedrógão Grande, no centro do país.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM