Jornal do Commercio
GUERRA CIVIL

Embaixador do Sri Lanka no Brasil é acusado de crimes de guerra

Jayasuriya é acusado de ter comandado unidades militares que atacaram hospitais e mataram, torturaram e foram responsáveis pelo desaparecimento de milhares de pessoas

Publicado em 29/08/2017, às 04h49

Jayasuriya tem imunidade diplomática devido ao cargo de embaixador do Sri Lanka em seis países: Brasil, Colômbia, Peru, Chile, Argentina e Suriname. / Foto: Getty Images / AFP
Jayasuriya tem imunidade diplomática devido ao cargo de embaixador do Sri Lanka em seis países: Brasil, Colômbia, Peru, Chile, Argentina e Suriname.
Foto: Getty Images / AFP
Estadão Conteúdo

Grupos de militantes pelos direitos humanos na América Latina denunciam que o embaixador do Sri Lanka no Brasil seria responsável por crimes de guerra cometidos em 2009, durante a guerra civil no país asiático. O ex-general Jagath Jayasuriya é acusado de ter comandado unidades militares que atacaram hospitais e mataram, torturaram e foram responsáveis pelo desaparecimento de milhares de pessoas.

Jayasuriya tem imunidade diplomática devido ao cargo de embaixador do Sri Lanka em seis países: Brasil, Colômbia, Peru, Chile, Argentina e Suriname. Os grupos que processam o militar esperam convencer os governos latino-americanos a extraditá-lo.

O advogado que coordena a iniciativa, Carlos Castreana Fernandez, informou à agência Associated Press na noite desta segunda-feira, 28, que já ajuizou ações no Brasil e na Colômbia. Nos próximos dias, o grupo também deve acionar o Poder Judiciário na Argentina, no Chile e no Peru. Já as autoridades do Suriname se negaram a aceitar o processo, disse o advogado.

"Esse é um genocídio que foi esquecido, mas vamos forçar países democráticos a fazerem alguma coisa. É só o começo da briga", afirmou.

A reportagem da AP tentou entrar em contato com o escritório do ex-comandante na Embaixada do Sri Lanka em Brasília através de ligações e e-mail, mas não obteve resposta. O paradeiro dele é desconhecido. Fernandez disse que oficiais de Justiça brasileiros informaram que Jayasuriya deixou o país neste domingo, 27. A informação não pôde ser confirmada de forma independente.



Os processos criminais, analisados pela AP, foram liderados pelo Projeto Verdade e Justiça Internacional, uma organização de direitos humanos com sede na África do Sul. As ações têm três principais objetivos: pressionar autoridades a abrir investigações sobre Jayasuriya, derrubar sua imunidade diplomática e extraditá-lo.

O advogado ouvido pela AP tem no currículo casos de repercussão internacional contra ditadores latino-americanos, como o general argentino Jorge Rafael Videla e o chileno Augusto Pinochet, que chegou a ser preso na Inglaterra em razão de processos internacionais.

O Sri Lanka, uma ilha localizada ao sul da Índia, esteve em guerra civil em vários períodos entre 1983 e 2009. A revolta contra o governo foi liderada por um grupo separatista da etnia tâmil contra o governo, que representa a maioria cingalesa.

Genocídio

Os processos alegam que Jayasuriya foi comandante das forças de segurança entre 2007 e 2009, um dos períodos mais sangrentos na guerra, no qual estima-se que foram mortas entre 40 e 70 mil pessoas. De acordo com o grupo, o ex-general também era responsável por um centro de tortura no Sri Lanka. As ações citam entrevistas com 14 sobreviventes da guerra que relataram episódios de tortura e violência sexual no local.

Militantes internacionais vêm perseguindo Jayasuriya há anos, mas o governo do Sri Lanka se recusa a processá-lo, assim como a outros acusados de crimes de guerra no país. Poucos anos depois do fim da guerra, ele se aposentou do Exército. Os cargos como embaixador de países latino-americanos foram conquistados mais tarde, entre 2015 e 2017.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM