Jornal do Commercio
Clima

Aquecimento global põe em risco produção de café latino-americano

Segundo os cenários mais pessimistas, produção de café poderá ser reduzida em 90% até 2050, de acordo com um estudo

Publicado em 11/09/2017, às 22h53

O arábica, muito cultivado na América Latina, aguenta mal as flutuações de temperatura, umidade e sol, enquanto o robusta, que serve sobretudo para fazer café solúvel e é produzido principalmente na África, é um pouco mais resistente / Agência Brasil
O arábica, muito cultivado na América Latina, aguenta mal as flutuações de temperatura, umidade e sol, enquanto o robusta, que serve sobretudo para fazer café solúvel e é produzido principalmente na África, é um pouco mais resistente
Agência Brasil
AFP

O aquecimento global ameaça as áreas mais favoráveis para o cultivo de café na América Latina, maior produtor do mundo, e, segundo o cenário mais pessimista, sua produção pode ser reduzida em 90% até 2050, de acordo com um estudo.

"O café é um produtos alimentícios mais preciosos do mundo e precisa de um clima propício para o seu cultivo, assim como de abelhas suficientes para sua polinização", explica Taylor Ricketts, professor do Instituto Rubenstein sobre o meio ambiente da Universidade de Vermont, coautor deste estudo publicado nesta segunda-feira na revista americana Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

"É o primeiro estudo que mostra como o aquecimento do planeta afetará o ambiente das plantas de café e as abelhas de uma forma que penalizará duramente os produtores", explica o pesquisador.

Os melhores cafés são os mais ameaçados. O arábica, muito cultivado na América Latina, aguenta mal as flutuações de temperatura, umidade e sol, enquanto o robusta, que serve sobretudo para fazer café solúvel e é produzido principalmente na África, é um pouco mais resistente.



Segundo o cenário de um aquecimento moderado ou elevado (mais de 2 graus Celsius) até 2050, a produção de grãos se reduziria de 73% a 88% nas áreas mais favoráveis para o cultivo, sob o efeito combinado do desaparecimento de uma parte das abelhas e dos arbustos.

Este mesmo modelo sugere uma diminuição da diversidade das abelhas de 8% a 18% nessas regiões.

As perdas mais importantes de produção estão previstas na Nicarágua, em Honduras e na Venezuela. O estudo identifica também as áreas onde a população e a diversidade de abelhas provavelmente aumentará, principalmente na América Central.

Os pesquisadores também preveem um aumento do cultivo de café em México, Guatemala, Colômbia e Costa Rica, em regiões montanhosas onde as temperaturas favoreceriam as plantas de café e as abelhas selvagens.

O estudo desataca a importância dos bosques tropicais, habitats importantes para as abelhas e outros polinizadores chave. Cerca de 91% das zonas mais férteis para cultivar o café na América Latina se encontram hoje em dia a menos de dois quilômetros de um bosque tropical.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM