Jornal do Commercio
DESTRUIÇÃO

Furacões Irma e Harvey podem superar prejuízo gerado pelo Katrina

Juntos, Irma e Harvey podem ter causado um prejuízo total de até US$ 200 bilhões, que equivale ao prejuízo do Katrina, em 2005, em Nova Orleans

Publicado em 12/09/2017, às 18h48

Destruição causada pelo Furacão Irma / Foto: MARC SEROTA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Destruição causada pelo Furacão Irma
Foto: MARC SEROTA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
ABr

Os furacões Irma e Harvey podem ter causado juntos um prejuízo total de até US$ 200 bilhões, um valor equivalente ao provocado pelo furacão Katrina em Nova Orleans em 2005, de acordo com as estimativas mais recentes feitas pela consultoria Moody's Analytics. A informação é da agência EFE.

A companhia alertou que o prejuízo do Irma, que atingiu a Flórida no último domingo como um furacão de categoria 4, ficará entre US$ 64 bilhões e US$ 92 bilhões. Já os danos provocados pelo Harvey, que devastou parte do Texas, podem chegar a US$ 108 bilhões.

O economista-chefe da Moody's Analytics, Mark Zandi, calculou que, juntos, Irma e Harvey deixarão entre US$ 150 bilhões e US$ 200 bilhões em danos provocados contra imóveis, veículos, lojas e infraestruturas públicas.

O furacão Katrina, que atingiu o estado da Louisiana em 2005 e é considerado o desastre natural mais caro da história dos EUA, provocou prejuízos de US$ 160 bilhões, de acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional do país.

No Texas, onde no fim de agosto o Harvey provocou inundações sem precedentes, as refinarias seguem funcionando com limites, já que cerca de 13% da capacidade do país de converter petróleo em gasolina permanece sem conexão, segundo a S&P Global Platts, uma companhia de pesquisa em energia.



Rápida recuperação

Segundo o consultor Zandi, a reconstrução das áreas destruídas pelos furacões Irma e Harvey acelerará a economia dos EUA no quarto trimestre deste ano e no início de 2018. Para ele, o impacto econômico dos dois fenômenos no longo prazo deve ser "nulo".

"Antecipamos que a maior parte da reconstrução, com exceção da infraestrutura pública danificada, estará terminada até o fim de 2018", indicou o economista-chefe da Moody's Analytics.

Um fator para determinar o efeito sobre a economia desses fenômenos meteorológicos é o "dinheiro do seguro e as ajudas do governo destinaas às regiões mais afetadas, e a rapidez com que esses recursos chegam até lá", explicou Zandi.

A  companhia de análise de catástrofes AIR Worldwide, por sua vez, prevê um prejuízo menor do que o calculado pela Moody's para as perdas provocadas pelo furacão Irma: algo entre US$ 20 bilhões e US$ 40 bilhões.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM