Jornal do Commercio
EUA

Irma passa para depressão tropical em seu avanço pelo sudeste dos EUA

Às 23h no horário local, Irma registrava ventos de 55 km/h. No Caribe, furacão tinha velocidade de 295 km/h

Publicado em 12/09/2017, às 07h28

Furacão Irma perde força / Foto: AFP
Furacão Irma perde força
Foto: AFP
Agência Brasil

O Irma, furacão mais poderoso registrado no Atlântico, passou nessa segunda-feira (11) para depressão tropical, em seu avanço pelo sudeste dos Estados Unidos (EUA), informou o Centro Nacional de Furacões (CNH) do país.

De acordo com a Agência EFE, às 23h (hora local), o Irma registrava ventos de até 55 quilômetros por hora (km/h) e ficava 10 km ao sul de Columbus (Geórgia) e 150 ao sul-sudoeste de Atlanta (Geórgia).



O ciclone avançava 24km/h em direção ao noroeste e é esperado "em breve" no Alabama e Tennessee.

O Irma, que em sua passagem pelo Caribe deixou cerca de 30 mortos e chegou a registrar ventos de até 295km/h, que o tornaram um furacão de categoria 5, já tinha se transformado em uma tempestade tropical na manhã de ontem.

Destruição

Nos EUA, onde tocou a terra no domingo (10), deixou fortes inundações, dez mortos e e cerca de 6,5 milhões de pessoas sem energia elétrica.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM