Jornal do Commercio
Política

Eleição de governadores na Venezuela divide oposição

Dois dos principais partidos da coalizão opositora protagonizaram uma ácida disputa, com ambos os lados proclamando a vitória na candidatura para o estado de Aragua

Publicado em 13/09/2017, às 04h39

Atualmente, governistas controlam atualmente 20 dos 23 estados da Venezuela / Foto: AFP
Atualmente, governistas controlam atualmente 20 dos 23 estados da Venezuela
Foto: AFP
AFP

A oposição venezuelana está dividida após as primárias que apontaram seus candidatos às eleições de governadores do próximo dia 15 de outubro, apesar das tentativas de minimizar as divergências.

Dois dos principais partidos da coalizão opositora - Primeiro Justiça e Ação Democrática - protagonizaram nesta terça-feira uma ácida disputa, com os dois lados proclamando a vitória na candidatura para o estado de Aragua (norte).

O parlamentar Tomás Guanipa, dirigente do Primeiro Justiça, denunciou que pistoleiros pressionaram eleitores para favorecer a candidatura de Ismael García, da Ação Democrática, durante a votação de domingo passado.

García, um ex-chavista que tem passado por vários partidos da oposição, concorria com José Ramón Arias, do Primeiro Justiça, liderado pelo ex-candidato presidencial Henrique Capriles.

"Se somos diferentes dos governistas, não podemos aceitar pistoleiros influenciando a vontade do eleitor", declarou Guanipa em entrevista coletiva.



O legislador desafiou García a repetir as primárias em Aragua, atualmente sob o controle do chavismo.

Acompanhado do influente deputado Henry Ramos Allup, líder da Ação Democrática, García exortou o Primeiro Justiça a aceitar a derrota em eleições "limpas".

"Serei o próximo governador de Aragua", afirmou García em entrevista coletiva.

No estado de Zulia, partidários do Primeiro Justiça enfrentaram militantes do partido Um Novo Tempo no final da votação.

Nas primárias da coalizão Mesa da Unidade Democrática (MUD) - integrada por cerca de 30 partidos - foram eleitos 19 candidatos, após haver consenso em outros quatro estados.

A Ação Democrática, um dos partidos que dominou a política venezuelana até a chegada de Hugo Chávez ao poder, em 1999, é a grande vencedora das primárias, com doze candidatos, sendo dez vencedores de primárias e dois por consendo.

O Primeiro Justiça ficou na segunda posição, com seis candidatos, sendo cinco eleitos e um por consenso.

O partido Vontade Popular, fundado pelo opositor detido Leopoldo López, fez dois candidatos, um por votação e outro por consenso.

Ramos Allup tentou explicar as disputas assinalando que "são 23 candidatos da Venezuela Unida, e o povo os tornará governadores".

A oposição, tradicionalmente dividida em sua estratégia para enfrentar o chavismo, considera as eleições regionais um passo para obter a mudança do atual governo nacional.

Controle dos estados

Os governistas controlam atualmente 20 dos 23 estados venezuelanos.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM