Jornal do Commercio
Reino Unido

Imigrantes europeus e emigrantes britânicos unem forças ante Brexit

Cidadãos europeus residentes do Reino Unido e britânicos que vivem na União Europeia se uniram hoje (13) para reivindicar seus direitos diante do Brexit.

Publicado em 13/09/2017, às 16h09

Manifestante pró-União Europeia protesta do lado de fora das Casas do Parlamento, em Londres / Foto: AFP
Manifestante pró-União Europeia protesta do lado de fora das Casas do Parlamento, em Londres
Foto: AFP
AFP

Centenas de cidadãos europeus residentes do Reino Unido e de britânicos que vivem na União Europeia se uniram nesta quarta-feira (13) pela primeira vez em Londres para reivindicar que seus direitos sejam respeitados diante do Brexit. 

Primeiro foram ao Parlamento e se reuniram com deputados, e nesta tarde estavam previstas manifestações nas ruas da capital britânica.

"Pedimos aos eleitores que entrassem em contato com os seus deputados e se reunissem com eles no Parlamento", contou à AFP Nicolas Hatton, um dos fundadores da organização de imigrantes europeus the3Million. 

"Duzentos (deputados) responderam positivamente e vamos informá-los sobre as nossas demandas, que são basicamente manter os direitos que temos agora, assegurarmos que eles serão garantidos durante a nossa vida", acrescentou. 

A situação dos três milhões de europeus que vivem no Reino Unido e do milhão de britânicos que vivem na UE é um dos pontos mais contenciosos nas negociações entre Londres e Bruxelas. 



Os cidadãos europeus da UE têm direito de residir em qualquer país que pertença ao bloco e possuir exatamente os mesmos direitos que os nativos. Isso pode mudar a partir de março de 2019, quando o Brexit será consumado.

Londres oferece aos cidadãos europeus que já estão no país mantenham os mesmos direitos que possuem agora. Porém, a oferta gera dúvidas, uma vez que o governo de Theresa May quer abandonar a jurisdição da justiça europeia, que é a que vela para que esses direitos sejam mantidos.

"Queremos elevar as discussões nesse tema", disse à AFP Jane Golding, presidente da associação Britânicos na Europa. 

"Compreensivelmente, os cidadãos europeus no Reino Unido estão mais presentes e as pessoas são mais conscientes sobre a sua situação que da nossa", complementou Golding. 

"Há a ideia equivocada de que todos estamos bem, e de que nossos direitos simplesmente serão garantidos", ressaltou. 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM