Jornal do Commercio
BARCELONA

Célula responsável por ataque na Espanha fabricou 100 kg de explosivo

A intenção do grupo era dividir o explosivo em 20 sacos e, depois, detoná-los perto de monumentos em Barcelona

Publicado em 14/09/2017, às 14h45

Esta seria uma quantidade de explosivo muito maior do que o normalmente apreendido pelas Polícias da Europa em operações antiterroristas / Foto: AFP
Esta seria uma quantidade de explosivo muito maior do que o normalmente apreendido pelas Polícias da Europa em operações antiterroristas
Foto: AFP
AFP

A célula terrorista responsável pelos atentados em Barcelona e em Cambrils, nos dias 17 e 18 de agosto passado, planejava usar 100 quilos de explosivo TATP distribuídos em três vans, de modo a lançar ataques mais violentos - afirmou o jornal "El Periódico" nesta quinta-feira (14).

Segundo o veículo catalão, a informação foi dada à Justiça por Mohamed Houli Chemlal, o único sobrevivente da explosão acidental na casa em que o grupo fabricava os explosivos, em Alcanar (200 quilômetros a sudoeste de Barcelona).

O ministro espanhol do Interior, Juan Ignacio Zoido, não quis confirmar a informação, alegando que o caso está sob segredo de Justiça.



De acordo com o jornal, a intenção do grupo era dividir o explosivo em 20 sacos e, depois, detoná-los perto de monumentos em Barcelona.

Explosivos

Esta seria uma quantidade de explosivo muito maior do que o normalmente apreendido pelas Polícias da Europa em operações antiterroristas.

Conhecido entre os extremistas como "a mãe de Satã", o TATP (triperóxido de triacetona) é usado por integrantes do grupo Estado Islâmico (EI) pela conveniência de poder ser fabricado com substâncias de fácil acesso, compradas, por exemplo, em farmácias.

Foi usado nos atentados de Paris, em novembro de 2015, de Bruxelas, em março de 2016, e de Manchester, em maio de 2017, entre outros.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM