Jornal do Commercio
CONFLITO

Rebeldes do Iêmen ameaçam disparar mísseis contra Abu Dhabi

Apoiado por unidades militares leais ao ex-presidente Ali Abdallah Saleh, os huthis controlam a capital Sanaa e o norte do Iêmen desde 2014

Publicado em 14/09/2017, às 14h40

O apoio militar dos Emirados Árabes Unidos ao poder iemenita foi essencial na retomada de cinco províncias do sul do país em 2015 / Foto: KARIM SAHIB / AFP
O apoio militar dos Emirados Árabes Unidos ao poder iemenita foi essencial na retomada de cinco províncias do sul do país em 2015
Foto: KARIM SAHIB / AFP
AFP

O líder dos rebeldes no Iêmen, país devastado pela guerra, ameaçou nesta quinta-feira (14) disparar mísseis contra os Emirados Árabes Unidos e lançar ataques navais contra sítios e plataformas de petróleo sauditas.

Os Emirados Árabes Unidos participam de uma coalizão de países árabes liderada pela Arábia Saudita que tem ajudado militarmente, desde março de 2015, o presidente Abd Rabbo Mansur Hadi contra os rebeldes huthis pró-iranianos.

Apoiado por unidades militares leais ao ex-presidente Ali Abdallah Saleh, os huthis controlam a capital Sanaa e o norte do Iêmen desde 2014. As forças pró-governo se concentram no sul.

"Os Emirados estão agora dentro do alcance dos nossos mísseis", disse o líder rebelde Abdel Malek Al-Huthi, acrescentando que suas forças desenvolveram mísseis balísticos capazes de alcançar Abu Dhabi.



"As empresas instaladas, ou que têm investimentos nos Emirados, não devem mais considerar este país como seguro", acrescentou o líder rebelde de 38 anos na rede de televisão Al-Massira, controlada por seus partidários.

Emirados Árabes

O apoio militar dos Emirados Árabes Unidos ao poder iemenita foi essencial na retomada de cinco províncias do sul do país em 2015.

Abdel Malek Al-Huthi assegurou que seus partidários continuaram a aperfeiçoar seus mísseis e lembrou que alguns atingiram alvos ao norte de Riad, capital saudita, e ao sul de Meca, cidade sagrada do Islã na Arábia Saudita, vizinha do Iêmen.

Também garantiu que a Marinha rebelde agora é capaz de atacar as instalações de petróleo sauditas e navios petroleiros no Mar Vermelho.

Mais de 8.400 pessoas, incluindo civis, morreram na guerra civil no Iêmen, segundo a ONU.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM