Jornal do Commercio
DIPLOMACIA

UE reforça sanções contra Pyongyang por testes de mísseis

Outras sanções também atingem a comercialização de armas da Coreia do Norte

Publicado em 14/09/2017, às 14h35

As sanções já haviam sido decretadas em razão do disparo e um míssil / Foto: AFP
As sanções já haviam sido decretadas em razão do disparo e um míssil
Foto: AFP
AFP

A União Europeia (UE) aprovou nesta quinta-feira (14) novas sanções contra setores estratégicos da Coreia do Norte, as quais já haviam sido decretadas pelas Nações Unidas em agosto, em razão de um disparo de míssil balístico intercontinental.

"O Conselho [da UE] reforçou ainda mais suas medidas restritivas" contra a Coreia do Norte, "aplicando as sanções setoriais impostas pelo (...) Conselho de Segurança da ONU", explicou em um comunicado a instituição que representa seus 28 países-membros.

O bloco europeu impõe, assim, "uma proibição total de todas as exportações de carvão, ferro, minério de ferro, produtos da pesca, minério de chumbo e chumbo", ou seja, contra as principais exportações da Coreia do Norte, detalha o Conselho.

Outras sanções também atingem "a comercialização de armas da Coreia do Norte, suas joint ventures com empresas estrangeiras, seus bancos e sua capacidade de gerar renda e acessar o sistema financeiro internacional".



A UE anunciou ainda que não permitirá a chegada de novos trabalhadores da Coreia do Norte à Europa, alegando que poderiam "apoiar programas ilegais de mísseis nucleares e balísticos" de Pyongyang.

ONU

Em geral, o bloco adota as sanções promulgadas pelo Conselho de Segurança da ONU.

Os europeus também se comprometeram a aplicar outra série de sanções, incluindo a limitação da exportação de petróleo, decretada pela ONU esta semana contra a Coreia do Norte pelo teste nuclear realizado no início de setembro.

Na semana passada, em Tallinn, a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, indicou que os 28 também estão considerando outras sanções próprias, as quais poderiam limitar a exportação de produtos de luxo europeus para este país, ou incluir um embargo total sobre suas exportações petrolíferas, segundo fontes diplomáticas.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM