Jornal do Commercio
Diplomacia

Acordo entre UE e Cuba entrará em vigor em 1º de novembro

A aplicação do acordo chega no momento mais tenso da crise entre a ilha e os EUA desde o restabelecimento dos laços diplomáticos em 2015

Publicado em 12/10/2017, às 14h33

Negociado durante quase dois anos desde abril de 2014, a questão dos direitos humanos foi um dos entraves deste acordo / Foto: AFP
Negociado durante quase dois anos desde abril de 2014, a questão dos direitos humanos foi um dos entraves deste acordo
Foto: AFP
AFP

A União Europeia e Cuba vão normalizar suas relações diplomáticas em 1º de novembro, com a entrada em vigor do Acordo de Diálogo Político e Cooperação, assinado por ambos em dezembro de 2016, indicou, nesta quinta-feira (12), à AFP uma porta-voz da Comissão Europeia. 

"O acordo entre UE e Cuba vai entrar em vigor provisoriamente em 1 de novembro", indicou esta fonte. A aplicação chega no momento mais tenso da crise entre a ilha socialista e os Estados Unidos desde o restabelecimento dos laços diplomáticos em 2015. 

Em dezembro, Cuba tornou-se o último país latino-americano a assinar um acordo deste tipo com o bloco, cujas relações se regiam, até então, pela chamada Posição Comum de 1996, que vinculava a cooperação europeia a "melhorias" nos direitos humanos. 

Negociado durante quase dois anos desde abril de 2014, a questão dos direitos humanos foi um dos entraves deste Acordo de Diálogo Político e Cooperação, resolvido com a implementação de um diálogo separado sobre esta questão.



Pacto

O pacto firma as bases de suas relações comerciais, "conforme estipulado nos Acordos da Organização Mundial de Comércio" (OMC), apesar de, como indicou em julho a relatora do acordo na Eurocâmara, Elena Valenciano, "não chegar a ser um acordo comercial". 

A decisão sobre sua aplicação foi publicada no sábado passado no Diário Oficial da UE, indicou a porta-voz da Comissão. Com essa entrada em vigor provisória, apenas os âmbitos relativos ao Executivo comunitário - como aspectos comerciais, ou a cooperação - vão começar a valer. 

A luta contra o terrorismo e o desarmamento, que, na Europa, são competências dos governos nacionais, vão ficar de fora da entrada em vigor parcial, à espera de longo e complexo processo de ratificação pelos parlamentos dos países do bloco - já feito por Bulgária, Estônia, Hungria e Eslováquia. 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM