Jornal do Commercio
ESTADOS UNIDOS

Ex-médico de ginastas é condenado a 60 anos por pornografia infantil

O médico, que se declarou culpado, também é julgado em um caso de abusos sexuais contra jovens atletas

Publicado em 07/12/2017, às 20h48

Nassar, 54 anos, recebeu a máxima sentença de 20 anos de prisão por cada uma das três acusações / Foto: Reprodução
Nassar, 54 anos, recebeu a máxima sentença de 20 anos de prisão por cada uma das três acusações
Foto: Reprodução
Da AFP

 O ex-médico da seleção de ginástica olímpica dos Estados Unidos Lawrence "Larry" Nassar foi condenado nesta quinta-feira a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil por um tribunal de Michigan, de acordo com um jornal local.

O médico, que se declarou culpado, também é julgado em um caso de abusos sexuais contra jovens atletas nas últimas décadas.

Nassar, 54 anos, recebeu a máxima sentença de 20 anos de prisão por cada uma das três acusações das quais havia sido declarado culpado em julho por um tribunal federal de Grand Rapids, no estado de Michigan.

Chamado de "monstro" por estrelas da ginástica, Nasser foi condenado por ter sido flagrado com 37.000 fotos e vídeos de pornografia infantil em seu computador.

"Você provou que nunca mais deverá ter acesso a crianças", declarou a juíza federal Janet Neff, segundo o jornal local Lansing State Journal.



Segundo a imprensa americana, Nassar, que trabalhou com a equipe de ginástica dos Estados Unidos durante quase três décadas e em quatro Jogos Olímpicos, afirmou estar envergonhado de seus atos.

Além da condenação imposta nesta quinta, Nassar ainda será julgado por abusar sexualmente de dezenas de adolescentes entre 1998 e 2015, sob pretexto de estar realizando exames médicos.

Nassar se declara culpado

Nassar, demitido em 2016 da USA Gymnastics, entidade que rege a ginástica dos Estados Unidos, se declarou culpado em três acusações de agressão sexual, em final de novembro. Uma semana antes, havia admitido outras sete acusações.

O médico, que até 2015 também trabalhava para a universidade de Michigan State, se declarou culpado de abusar de crianças que tinham entre 13 e 15 anos na época dos atos. Os delitos pelos quais responde podem lhe valer entre 25 a 40 anos de prisão.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM