Jornal do Commercio
expulsão

Inglaterra expulsará 23 diplomatas russos após ataque ao ex-agente duplo

A decisão foi tomada após o ataque com substância química contra o ex-agente duplo Sergei Skripal, de 66 anos

Publicado em 14/03/2018, às 10h55

A premiê comunicou que nenhum ministro ou representante da família real comparecerá a Copa da Rússia / Foto: Divulgação
A premiê comunicou que nenhum ministro ou representante da família real comparecerá a Copa da Rússia
Foto: Divulgação
JC Online com informações da AFP

Na manhã desta quarta-feira (14), a primeira-ministra britânica Theresa May anunciou que irá expulsar 23 diplomatas da Rússia presentes em Londres. A decisão foi tomada após o ataque com substância química contra o ex-agente duplo Sergei Skripal, de 66 anos e sua filha Yulia, de 33. 

"A Rússia é culpada pelo atentado com uma arma química", afirmou May no Parlamento, depois de concluído o ultimato que Londres deu a Moscou para explicar-se sobre incidente.

A premiê, lamentando que Putin tenha escolhido agir dessa maneira, também comunicou que nenhum ministro ou representante da família real comparecerá ao Mundial de Futebol da Rússia-2018.

Trump

O presidente Donald Trump assinalou a última terça-feira (13) que o ataque com agente químico contra um ex-espião russo no Reino Unido parece ter sido obra do governo da Rússia, a partir de uma evidência reunida pelo governo britânico.

"Parece que pode ser a Rússia, baseado em toda a evidência que eles têm", afirmou Trump aos jornalistas nos jardins da Casa Branca, acrescentando que tem agendada uma conversa com a primeira-ministra britânica Theresa May nesta terça.



Relembre o caso

As vitimas da substância foram Serguei Skripal, de 66 anos, ex-coronel do serviços secreto militar russo, que teria passado informações aos britânicos, e sua filha Yulia, de 33 anos, que mora na Rússia e visitava o pai. O ex-espião russo e sua filha sofreram uma tentativa de homicídio com um agente nervoso, um crime no qual Moscou negou qualquer responsabilidade, denunciando uma campanha de difamação.

Os fatos, ocorridos em 4 de março na cidade inglesa de Salisbury (sudoeste), onde morava Skripal, constituíram "uma tentativa de assassinato mediante a administração de um agente nervoso", disse à imprensa, em Londres, na última quarta-feira (7) o comandante da Polícia contraterrorista britânica, Mark Rowley.

A substância utlizada, o gás sarin, é o mais conhecido dos agentes nervosos. Trata-se de uma potente substância neurotóxica, inodora e invisível, que mesmo não sendo inalada, seu simples contato com a pele bloqueia a transmissão do impulso nervoso e leva à morte por parada cardiorrespiratória.

As vítimas se queixam de violentas dores de cabeça e apresentam pupilas dilatadas. Depois, sofrem convulsões, paradas respiratórias e entram em coma antes de morrer.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM